Folha do Comércio

Destaques:
Você está aqui: Brasil Cotidiano Redução do sal HMCC: mais qualidade na alimentação

Redução do sal HMCC: mais qualidade na alimentação

O Hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) está realizando a diminuição da quantidade de sal nos alimentos preparados pelo serviço de Nutrição e Dietética (SND) do hospital. Esta ação está alinhada com a orientação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde, que recomendam que a quantidade diária de cloreto de sódio ingerida, não ultrapasse 2 gramas. Entretanto, os brasileiros consomem o dobro do recomendado e não apenas o sal de cozinha, mas também todo e qualquer alimento que contenha sódio, principalmente os industrializados.
A ação foi iniciada em Julho de 2016, com a Fundação São Francisco Xavier a frente da gestão do HMCC. Naquele ano, foram utilizados 40kg de sal para a produção de 5.862 refeições (6,82gramas por refeição). Já em Junho de 2017, foram 8 kg de sal para 8.802 refeições (0,91gramas por refeição). Agora objetivo é reduzir ainda mais.
Para se ter uma ideia da importância da redução do sal nos alimentos, a revista médica britânica “The British Medical Journal”, constatou que diminuir 10% do consumo de sal pode salvar milhões de vidas. Os cientistas estimaram ainda, baseados no índice de Esperança de Vida Corrigida pela Incapacidade (DALY em inglês), que uma alimentação menos salgada no período de 10 anos evitaria uma perda anual equivalente a 5,8 milhões de anos de boa saúde. Os custos dos anos ganhos seriam equivalentes ao que se gasta atualmente com remédios para doenças cardiovasculares.
O excesso do cloreto de sódio nos alimentos é responsável por causar, doenças cardiovasculares como infarto, AVC e hipertensão arterial, além de doenças renais - um dos principais problemas de saúde pública do Brasil. “Esta medida iniciada pela nutrição do HMCC, em reduzir o sal, deve ser levada para dentro de nossas casas. A restrição do sal é fundamental para o controle da hipertensão arterial, que é a responsável por 35% das causas de doença renal crônica terminal no Brasil", explica o representante da clínica de Nefrologia do HMC e Presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia, Daniel Chalabi Calazans.
O SND do HMCC vem substituindo o sal por temperos e condimentos como: alho, alho-poró, manjericão, alecrim, salsinha, cebolinha, cebola, sal grosso, gergelim entre outros. Assim, a comida fica mais saborosa e fornece muito mais vitaminas e minerais no preparo dos alimentos.
Por dia é oferecido, aos pacientes do HMCC, cinco refeições: café da manhã, almoço, café da tarde, jantar e ceia. Demanda que tem crescido juntamente com a taxa de ocupação do hospital. O cardápio é elaborado pela nutricionista de Produção, Kaline Fernandes, e preparado por quatro cozinheiras (2 de dietas especiais e 2 de dieta livre e refeitório), contando com o suporte de 10 auxiliares de cozinha, e cinco copeiros. Tudo pensado na saúde e bem estar dos pacientes, acompanhantes e colaboradores da instituição.
“A redução no uso do sal de cozinha e adoção de temperos naturais tem sido muito bem aceitos por todos. Temos recebido elogios sobre o sabor e a leveza das refeições. Nosso objetivo é melhorar a qualidade de vida de todos, com uma alimentação saudável e saborosa, tanto nas dietas livres quanto nas dietas específicas”, afirma a nutricionista.
Faça como o HMCC e reduza o sal dos alimentos que você consome. Com esta atitude, terá uma alimentação mais saudável e saborosa. Confira a dica:
Tempero verde
500g de Alho descascado;
150g de Sal grosso;
1ud. Alho poro;
2 Cebolas brancas;
Salsinha a gosto;
Manjericão a gosto;
Modo de preparo
Bata no liquidificador primeiro a cebola, depois acrescente o alho poro (bulbo e folhas verdes), alho, salsinha, manjericão e por último o sal. Conserve em vasilhame tampado na geladeira. Não precisa colocar óleo. Pode ser utilizado em qualquer preparação.