Folha do Comércio

Destaques:
Você está aqui: Economia Notícias Estaleiro Rio Grande prestes a fechar as portas

Estaleiro Rio Grande prestes a fechar as portas

A situação dos estaleiros da cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul,a cada dia que passa e as obras vão sendo concluídas, vai entrando em alerta vermelho. Há poucos meses do final do ano, a tendência é que todo aquele complexo desenvolvido a duras penas, se torne uma área fantasma, sem empregos. Na última semana, o Estaleiro Rio Grande, da Ecovix, voltou a demitir. Desta vez, mais 70 funcionários ficaram sem emprego. No momento, o Ecovix já está inoperante e sem novas encomendas à vista. Apenas as áreas de administração e manutenção estão atuando.

A medida pegou os trabalhadores de surpresa. Apenas cerca de 60 pessoas ficaram atuando no estaleiro e não se descarta a possibilidade que mais desligamentos ocorram brevemente. A expectativa é que a Cosco, da China, entre no estaleiro como uma empresa possivelmente investidora no empreendimento gaúcho, o que daria um novo fôlego ao Estaleiro Rio Grande. A Ecovix encontra-se em meio a um processo de reestruturação capitaneado pelo Banco Brasil Plural.

A Gerdau, até o final deste mês, deve cortar os módulos da plataforma de petróleo P-72 para utilizá-los como sucata. A empresa participa do processo de licitação, ainda em andamento, para a compra de sucata do Estaleiro Rio Grande. A Plataforma P-71, que tem praticamente metade das obras realizadas, foram interrompidas em dezembro. Nesse mesmo mês, a Ecovix demitiu cerca de 3,2 mil funcionários. Atualmente, no polo naval gaúcho estão sendo implementadas a P-75 e a P-77, no estaleiro da QGI, localizado em Rio Grande, e a P-74, pelo grupo EBR, em São José do Norte. Essas duas obras deverão ser concluídas até o primeiro trimestre de 2018.