Folha do Comércio

Você está aqui: Vale do Aço Coronel Fabriciano Comércio de Fabriciano terá câmeras de monitoramento

Comércio de Fabriciano terá câmeras de monitoramento

Postado em 07-02-18 às 10h19

- PM vai mapear, nos próximos dias, os pontos mais vulneráveis da cidade. Expectativa é que a vigilância comece ainda este semestre -

Empresários, prefeitura e Polícia Militar se reuniram na manhã de terça-feira,06, em Coronel Fabriciano, na unidade do Sindicato do Comércio Varejista e Atacadista de Bens e Serviços (Sindcomércio) do Vale do Aço.

Com a proposta de debater a segurança nas lojas do município, enfocando a implantação da “Rede de Comércios  Protegidos”, ficou deliberada, ao final do encontro, a instalação – ainda este semestre – de câmeras de monitoramento nos principais pontos comerciais da cidade.

Conforme definido na reunião, à Polícia Militar caberá, nos próximos dias, a incumbência de mapear os pontos mais vulneráveis de Fabriciano, que estrategicamente receberão as câmeras de segurança para inibir e vigiar a ação de marginais. “O crime é migratório. Se Timóteo está sendo fortalecida (recentemente a cidade passou a contar com 100 câmeras de segurança), a tendência é que os bandidos passem a agir na cidade vizinha. Então Fabriciano não pode ficar desprotegida”, recomenda o tenente Régis, um dos idealizadores da Rede de ComérciosProtegidos.

Também de acordo com o oficial, o projeto é divido em três fases: “Na 1ª, montamos um grupo de Whatsapp com mais de 300 lojistas, no qual existe um termo de responsabilidade para participar. O assunto a ser tratado ali é somente a segurança pública local. Já na 2ª fase, trabalharemos com a fixação de placas de identificação da Rede de Comércios Protegidos, que transmitem uma sensação de segurança e têm um custo baixo.” A 3ª fase, continua o tenente Régis, será a do “monitoramento compartilhado”, com a instalação de câmeras por toda a cidade.

Esse estágio terá início após a PM mapear e indicar os pontos que necessitam de vigilância por filmagem para, em seguida, serem feitos orçamentos junto a empresas de automação do setor. “Em Timóteo, está funcionando perfeitamente, e o custo foi de R$ 150 por empresário”, observa o policial, lembrando que em Fabriciano só será possível definir o valor após o levantamento, rua por rua, dos pontos que receberão as câmeras. “Lembrando que quanto mais lojistas aderirem à ideia, mais viável financeiramente será”, complementa o policial.

Olho Vivo

Presente à reunião, o secretário de Governança do Desenvolvimento Econômico, Turismo e Cultura, Leandro Xingó, o “Xingozinho”, revelou que a prefeitura já planeja a implantação do “Olho Vivo” na cidade. “É um projeto que vai abranger a iluminação pública municipal, trocando as atuais lâmpadas de vapor de sódio por spots de ‘led’, que terão acoplados em seu bojo as câmeras do ‘Olho Vivo’ para o respectivo monitoramento das polícias Militar e Civil”, explicou Xingozinho.

Quanto mais...

Por sua vez, o diretor-administrativo do Sindcomércio, Jair Zanela, que também participou da reunião, reforçou que o anúncio daimplantação do “Olho Vivo” não impede, tampouco freia a iniciativa da PM em parceria com os lojistas para o funcionamento da Rede de Comércios Protegidos. “Ao contrário, quanto mais câmeras e vigilância tivermos, melhor será. Não temos dúvidas disto! O Sindcomércio sabe da crescente da criminalidade e vai apoiar efetivamente qualquer iniciativa que venha a trazer proteção às nossas lojas”, garantiu Zanela.

Outras informações sobre a implantação da Rede de Comércios Protegidos em Fabriciano podem ser obtidas por meio do telefone 3842-2040.