Folha do Comércio

Destaques:
Você está aqui: Vale do Aço Outras Cidades

Outras Cidades

Em busca aprovação para obras do Parque Multifuncional em Belo Oriente

BELO ORIENTE - O prefeito de Coronel Fabriciano e vice-presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), Dr. Marcos Vinicius, esteve no Ministério da Cultura, em Brasília (DF), para solicitar ao Ministro Sérgio Leitão, aprovação para continuidade das obras do Parque Multifuncional, localizado no distrito de Perpétuo Socorro (Cachoeira Escura), em Belo Oriente.

A audiência contou com a participação de representantes do Instituto Cenibra, o deputado federal, Domingos Sávio (PSDB) e o vereador Cristiano do Cais (PSDB). O empreendimento é uma parceria da Cenbra e Instituto Cenibra com a Prefeitura de Belo Oriente e prevê a disponibilização para a comunidade, de um espaço com trilha ecológica, jardim botânico, complexo esportivo e um centro cultural, composto por biblioteca e teatro de arena. “Como vice-presidente da AMM, é meu dever lutar pelas demandas de toda a região e é isso que estou fazendo. Quero melhorias para Belo Oriente, Jaguaraçú, enfim, todos que me procurarem vão encontrar apoio, disse Dr. Marcos.

Segundo a assessoria de imprensa da Cenibra, o projeto foi aprovado através da Lei Rouanet. A empresa já conta com R$700 mil reais para continuar a biblioteca e iniciar o teatro de arena. Falta apenas a validação do Minc da adequação da planilha e do projeto arquitetônico do teatro.

Parque Multifuncional

O Parque está em estado avançado de construção. Foi instalada iluminação e realizado o plantio de árvores ao redor da pista de caminhada, plantio de grama no campo de futebol e construção da biblioteca. Recebendo um evento por mês, em parceria com o Conselho Comunitário de Segurança Pública de Belo Oriente e administração municipal, o local transformou positivamente a rotina dos moradores da região. O Parque conta ainda com uma casa de apoio onde Projetos Sociais parceiros do Instituto realizam suas ações. Um desses projetos é o - GRACE - Grupo de Artesãs de Cachoeira Escura -, que utilizam de subproduto do processo de fabricação de celulose para compor obras de arte e utensílios domésticos.

Lei Rouanet

A Lei Federal de Incentivo à Cultura é a denominação dada a Lei nº 8.313 do dia 23 de dezembro de 1991.  É a lei que institui políticas públicas para a cultura nacional, como o PRONAC. As diretrizes para a cultura nacional foram estabelecidas nos primeiros artigos, e sua base é a promoção, proteção e valorização das expressões culturais nacionais. O grande destaque da Lei Rouanet é a política de incentivos fiscais que possibilita empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa física) aplicarem uma parte do IR (imposto de renda) devido em ações culturais. A lei surgiu para educar as empresas e cidadãos a investirem em cultura, e inicialmente daria incentivos fiscais, pois com o benefício no recolhimento do imposto a iniciativa privada se sentiria estimulada a patrocinar eventos culturais, uma vez que o patrocínio além de fomentar a cultura, valoriza a marca das empresas junto ao público.

 

CBHs do Rio Doce investirão 27 milhões em saneamento

- Serão elaborados projetos de esgotamento sanitário e abastecimento de água para municípios da bacia. Prazo final para manifestação de interesse é 22 de setembro -

As administrações municipais das 228 cidades que compõem a Bacia Hidrográfica do Rio Doce terão até o dia 22 de setembro para manifestar interesse na participação de ações, com foco na melhoria dos serviços de saneamento, desenvolvidas pelos Comitês da bacia. Ao todo, cerca de R$ 27 milhões serão investidos na elaboração de projetos de Sistemas de Abastecimento de Água (SAAs) e Sistemas de Esgotamento Sanitário (SESs), por meio dos programas de Saneamento da Bacia (P11) e de Universalização do Saneamento (P41). As atividades são desenvolvidas com o recurso da cobrança pelo uso da água, recolhido pelos Comitês da Bacia do Rio Doce.

Os municípios terão até o dia 22 de setembro para enviar propostas, que serão avaliadas conforme critérios de hierarquização e desempate, previstos no edital de chamamento. Entre as exigências estão a comprovação de regularidade da outorga e do pagamento pelo uso da água. As demandas poderão ser de qualquer natureza, desde que sejam referentes aos sistemas municipais de abastecimento de água e aos sistemas municipais de esgotamento sanitário, localizados nas sedes ou núcleos populacionais urbanos. Será possível inscrever um projeto em cada modalidade (água e esgoto).

Confira aqui o edital

Saneamento em foco

O lançamento de efluentes sem tratamento nos cursos d’água da Bacia Hidrográfica do Rio Doce foi apontado, no Plano Integrado de Recursos Hídricos – estudo que identifica, entre outras questões, a situação ambiental da porção hidrográfica -, como um dos principais entraves à recuperação dos mananciais. Por isso, entre outras ações com foco ambiental, foram priorizadas atividades voltadas à promoção da melhoria dos serviços de saneamento básico. Cerca de R$ 22 milhões foram investidos na contratação de empresas especializadas na elaboração de 165 Planos Municipais de Saneamento Básico – documento exigido por lei, que, através de um diagnóstico da situação dos municípios em relação ao abastecimento de água, tratamento de esgoto, resíduos sólidos e drenagem urbana, prevê ações para, em um horizonte de vinte anos, promover a universalização dos serviços. Também serão alocados recursos para ações de melhoria da situação do saneamento nas áreas rurais, que serão trabalhadas de forma integrada com atividades de recuperação de nascentes e APPs e diminuição da geração de sedimentos.

Instituto Cenibra recebe Moção em Guanhães

Na próxima segunda-feira, 4, às 19 horas, na Câmara Municipal de Vereadores de Guanhães, a Cenibra e seu Instituto serão agraciados com a Moção de Aplausos.  Na ocasião, receberão moção o Diretor-Presidente, Naohiro Doi, o Coordenador de Silvicultura, Luiz Sérgio Pereira Curti, a Coordenadora de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais, Leida H Horst Gomes e o Analista de Relações Institucionais, Cristiano Augusto Lopes. A iniciativa é um reconhecimento do poder público da integração da empresa com a comunidade.

Em Guanhães, a Cenibra maneja uma área de 11.289,48 hectares, dos quais 5.339 são de cultivo de eucalipto e o restante de área de preservação ambiental. De forma contínua, a empresa busca a melhoria dos processos operacionais para garantir a sustentabilidade e bom relacionamento com a comunidade e o meio ambiente.

A Cenibra oferece permanentemente recursos técnicos, materiais e humanos para as Prefeituras dos municípios de atuação, contribuindo diretamente para os processos econômicos regionais. Além disso, para apoiar os negócios em suas iniciativas sociais, contribuindo para a gestão, avaliação de impactos e implantação de projetos sociais e culturais, a Empresa conta com o Instituto Cenibra, que é responsável pelo direcionamento da atuação social e pela qualificação do investimento social da Empresa. O Instituto atua amparado na dispersão geográfica da base territorial, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), a vocação econômica e a identidade cultural.

Em Guanhães, onde a empresa possui um escritório regional, a Cenibra contribui com patrocínio a eventos, realização do Projeto Ação e Cidadania, Projeto Conselho Eficaz, doações de computadores para promoção da inclusão digital, doação de madeira, hora máquina e materiais para ajudar na manutenção da infraestrutura pública, além de apoiar o Projeto Vencer, que promove a prática do jiu-jitsu em Guanhães e Região.

Literatura e História

Começaram neste mês de agosto as atividades do Projeto Contos Locais; projeto que contemplará estudantes de Guanhães, Virginópolis e Divinolândia de Minas. Em seu segundo ano de realização, a iniciativa incentivará adolescentes à leitura e contação de histórias, entrevistas e redação de contos a partir do registro da memória cultural local, ressaltando costumes e personagens do interior de Minas Gerais.

"O Projeto é uma realização da MC Produção Ltda, viabilizado pelo Ministério da Cultura, por meio da Lei Federal de Incentivo à cultura - Lei Rouanet (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991). A primeira etapa do Projeto consistiu em uma visita às cidades escolhidas para apresentar a proposta, cronograma e metodologia de trabalho que contará com o apoio das Prefeituras Municipais e Superintendência Regional de Ensino", declara  Éderson Caldas, proponente do projeto e produtor executivo.

Dentre as próximas etapas do Projeto estão definição de escolas e estudantes participantes; Oficina de contação de histórias com Bia Bedran, no dia 20/9 em Guanhães; Seleção das histórias e produção de contos; apresentação dos livros com os contos produzidos.

O escopo de trabalho proposto consiste em produzir livros de contos com histórias de comunidades, a partir da pesquisa com moradores, realizada por adolescentes e professores dos municípios de Guanhães, Virginópolis e Divinolândia de Minas no interior de Minas Gerais. Com isso, busca-se promover o resgate da memória oral, linguagem e história, incentivando a leitura, valorizando, recuperando e registrando os costumes, tradições e personagens locais. Para a produção destes livros, será realizado um trabalho conjunto com professores das escolas públicas, que estimularão seus alunos à pesquisa por meio de atividades em sala de aula. Posteriormente os alunos farão pesquisas com moradores na busca de histórias, que serão transformadas em contos e reunidas em três livros. Os livros serão distribuídos gratuitamente gerando o resgate, registro e preservação da história local.

A produção executiva é de Éderson Caldas, Coordenação Geral e Produção de Texto, Cristiano Augusto Lopes, Coordenação Pedagógica e Assistente de Produção, Janaína Dantas Barbosa Lopes, Assessoria de Comunicação, Rudson Vieira, elaboração de Prestação de Contas: Marilda Lyra e Contador: Adilson Mariano. Apoio: Instituto Cenibra, Prefeitura de Guanhães, Prefeitura de Virginópolis, Prefeitura de Divinolândia de Minas, Superintendência Regional de Educação. “O Investimento Social Corporativo da CENIBRA prioriza boas ideias. Ideias que transformam a paisagem regional de forma a valorizar a cultura das comunidades em um processo de autorreconhecimento e evolução”, avalia Leida Hermsdorff Horst Gomes, Coordenadora de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais da CENIBRA, patrocinadora do Projeto.

Em 2016, o Projeto Contos Locais contemplou as cidades de Açucena, Belo Oriente e Santa Bárbara.

 

Vagão Cultural apresenta Parque Botânico e Reserva Natural Vale no Trem de Passageiros

Já imaginou poder conhecer um parque e uma reserva ambiental enquanto viaja de trem? Os passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas poderão ter essa experiência nesta quarta e quinta-feira, dias 30 e 31. O Vagão Cultural apresentará o Parque Botânico e a Reserva Natural Vale, espaços de preservação ambiental mantidos pela Vale em Vitória e Linhares (ES), respectivamente.

O vagão especial viaja até Belo Horizonte nesta quarta e da capital mineira até Cariacica na quinta, oferecendo atividades relacionadas ao tema sustentabilidade conduzidas pelas próprias equipes dos ativos, como dinâmicas, oficinas e jogos, além de uma exposição de fotos da biodiversidade e das atrações encontradas em cada local.

Reserva Natural Vale

Localizada em Linhares, norte do Espírito Santo a Reserva Natural Vale tem 23 mil hectares de extensão e conta com uma das maiores áreas protegidas de Mata Atlântica do país. Pela sua importância nas atividades de conservação, pesquisa e uso sustentável dos recursos florestais, a RNV recebeu da Unesco o título de Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

A Reserva é aberta ao público todos os dias, das 8h30 às 16h, oferecendo caminhadas em trilhas ecológicas e um Centro de Exposições sobre a Mata Atlântica, além atividades diversas como dinâmicas e oficinas com foco em sustentabilidade. O local conta ainda com estrutura completa para a realização de visitas, eventos, treinamentos e cursos, hotel e restaurante.

Parque Botânico Vale

Com 33 hectares de área verde, o Parque Botânico Vale está localizado no cinturão verde do Complexo de Tubarão, em Vitória. Além da possibilidade de ter uma interação diferenciada com a natureza, no Parque Botânico Vale o visitante pode ainda frequentar o parquinho e fazer trilhas ecológicas pela área de restauração florestal - que já possui mais de 140 tipos de espécies arbóreas de Mata Atlântica e alguns animais silvestres.

O Parque Botânico Vale possui ainda muitos projetos especiais: atividades de promoção a saúde, Programa de Educação Ambiental, Seminário de Educação, programações culturais e de lazer, Coral Infantil.

 

Página 1 de 4