Folha do Comércio

Você está aqui: Vale do Aço Outras Cidades

Outras Cidades

TEATRO QUE CONSCIENTIZA

- Projeto Ambiente Arte aborda prevenção ambiental de forma dinâmica e atrativa -

Na terça-feira, 29, a comunidade de Brumal, em Santa Bárbara receberá uma apresentação teatral do grupo Boca de Cena(FOTO), com o tema de preservação ambiental e combate a incêndios florestais. A iniciativa é parte do Projeto Ambiente Arte, do Instituto CENIBRA.

O espetáculo será ainda apresentado no dia 12 de setembro em Virginópolis (comunidade Boa Vista), dia 13 de setembro em Bugre, e dia 18 de outubro em Bom Jesus do Galho (comunidade de Quartel do Sacramento).

O Projeto busca propiciar, por meio de palestra e teatro novas relações reflexivas homem/educação/cultura/meio ambiente, a construção de uma consciência critica nas comunidades onde residem empregados, familiares, prestadores de serviços e, sobretudo, os membros das comunidades.

"No passado, presente ou no futuro: incêndio não é legal" este é o tema do espetáculo que abordou a prevenção e combate a incêndios florestais. A destruição ocasionada pelos incêndios é lamentável. Compromete a camada orgânica do solo, propicia o surgimento de erosões, reduz a resistência das árvores, mata animais ou destrói o habitat natural, danifica propriedades, além de causar danos à saúde do homem. A conscientização é o melhor instrumento de preservação ambiental.

O elenco é formado por Bárbara Pavione, Leo Coessens, Didi Peres, Roberto Yokel; com direção de Claudinei de Souza e produção de Marilda Lyra. O espetáculo em breve será realizado em outros municípios de atuação.

Neste ano, o projeto já levou o espetáculo para Pingo D'água, Córrego Novo, Periquito (Serraria), Bom Jesus do Galho (Revés do Belém), Caratinga (São Cândido e Cordeiros de Minas).

ECOLOGIA DO COTIDIANO: A ESCOLA E A COMUNIDADE

Nesta sexta-feira, 25, no Campus Piau (Rede de Ensino Doctum), em Caratinga, foi realizado o quarto módulo de capacitação do Projeto Escola de Vida, com o tema Ecologia do cotidiano: a Escola e a Comunidade. Na ocasião ser ão realizadas dinâmicas e interpretações de textos temáticos para promover a reflexão e prospecção de estratégias de ensino de forma a potencializar o relacionamento do ser humano com o meio ambiente de forma integrada, compreendendo a Escola e a Comunidade como ambientes de integração e aprendizado. Participaram 100 professores da rede pública de ensino de Córrego Novo, Pingo D’Água, Caratinga (São Cândido, Cordeiro de Minas) e Bom Jesus do Galho (Revés do Belém e Quartel Sacramento).

Por meio de uma parceria da CENIBRA com a Fundação Relictos, o projeto é desenvolvido com professores do 1º ao 5º ano das séries iniciais do ensino fundamental das escolas localizadas nos municípios de atuação da Empresa, ao longo de um ano, por meio da discussão e desenvolvimento de conceitos sobre o meio ambiente e métodos de sensibilização e divulgação junto aos estudantes. A iniciativa dissemina a consciência ambiental e a valorização da natureza em sintonia com as questões ambientais contemporâneas, tais como a prevenção e combate a incêndios florestais, e a gestão de recursos hídricos.

“A Educação Ambiental é instrumento de transformação do sonho da sustentabilidade, em realidade de um mundo melhor. O Escola de Vida há 21 anos gera frutos sustentáveis neste sentido. No total, foram 2.268 professores formados nestes anos de sucesso, com 431 escolas envolvidas” declara Leida Hermsdorff Horst Gomes, Coordenadora de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais.

Temas desenvolvidos durante o ano:

1º módulo: Fauna e flora regionais

2º módulo: Os seres vivos em seu próprio direito

3º módulo: Ecologia e saúde integral

4º módulo: Ecologia do cotidiano: a escola e a comunidade

5º módulo: Aspectos sociais, ambientais e econômicos do eucalipto

Vale leva Educação Ambiental para Contém Cultura

-Oficina de reciclagem e exibição do Lixo extraordinário são atrações do projeto -

O espaço cultural Contém Cultura, com o apoio da Vale, promove no sábado, dia 26, de 16 às 17h30, na área do Campo Municipal de Periquito, uma Oficina de reciclagem. A partir da reutilização de caixas de leite, os alunos aprenderão a fazer carteiras, embalagens para presente, descansa prato, porta-copos, porta- lápis e brinquedos. Na ocasião, participarão da oficina cerca de 40 estudantes da rede pública de ensino.

O objetivo da ação é contribuir para a construção e difusão de informações e conhecimentos em educação ambiental sob a temática da Coleta Seletiva e reaproveitamento do lixo, apresentando a possibilidade de transformação dos resíduos sólidos em pecas de artesanato com novas utilidades.

Proporcionar o processo de educação ambiental fundamentado nos três momentos básicos de transformação: sensibilização, conscientização e mobilização é o resultado esperado da oficina.

Segundo os organizadores do evento, esta iniciativa integra a atuação da Vale no seu compromisso de responsabilidade socioambiental, agindo de forma proativa e visando melhorar a qualidade de vida da comunidade. Ações de Educação Ambiental são importantes no desenvolvimento e no despertar da consciência ambiental.

Após a oficina, será exibido Lixo extraordinário, filme que acompanha o trabalho do artista plástico Vik Muniz em um dos maiores aterros sanitários do mundo, o Jardim Gramacho, na periferia do Rio de Janeiro. No local, ele fotografa um grupo de catadores de materiais recicláveis, revelando um pouco da sua vida que não conseguem imaginá-la fora do aterro. O filme revela o poder transformador da arte e da alquimia do espírito humano.

SERVIÇO

Oficina de reciclagem (realização Vale). Dia 26 de agosto (sábado), de 16 às 17h30, na área do Campo Municipal de Periquito/MG, seguida pela exibição do filme Lixo Extraordinário. Entrada franca. A oficina será conduzida pela equipa técnica da Bicho do Mato Meio Ambiente Ltda., parceira da Vale nas ações de educação ambiental.

 

Reserva Natural Vale mantém título de Posto Avançado de Reserva da Biosfera

A Reserva Natural Vale (RNV), área protegida de Mata Atlântica mantida pela Vale em Linhares, Norte do ES, recebeu, mais uma vez, o título de Posto Avançado de Reserva da Biosfera, reconhecimento concedido a áreas consideradas relevantes em termos de conservação da biodiversidade. Para receberem o título de Reserva de Biosfera da Mata Atlântica (RBMA), esses locais devem desenvolver e incentivar atividades com o objetivo de conservar a biodiversidade; fomentar e divulgar conhecimento tradicional e científico; e promover o desenvolvimento sustentável. Esta é a terceira vez que a Reserva Natural Vale mantém a qualificação, que deverá ser válida pelos próximos anos.

"O título é o reconhecimento das atividades da Reserva nas áreas de proteção da biodiversidade, de desenvolvimento sustentável e de promoção do conhecimento científico e tradicional. E a RNV foi homologada por essas três funções, o que nos alegra muito", celebra Márcio Santos Ferreira, supervisor da RNV.

A importância da Reserva Natural Vale para a conservação da Mata Atlântica também é representada pela sobreposição de diversos territórios demarcados: Patrimônio Mundial da Costa do Descobrimento - além do título de Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, pela Unesco; Área Prioritária para a Conservação da Biodiversidade; Mosaico de Áreas Protegidas da Foz do Rio Doce; Corredor Central da Mata Atlântica e Corredor Sooretama-Goytacazes-Comboios, todos concedidos pelo Ministério do Meio Ambiente e aindaImportant Bird Area e Endemic Bird Area, pela BirdLife International.

Além da conservação da diversidade biológica, são desenvolvidas na RNV pesquisas científicas de importante repercussão para a sociedade e essenciais para o conhecimento e manejo da Floresta de Tabuleiro. Desde que foi adquirida pela Vale, nos anos 50, até o momento já foram catalogadas na Reserva mais de 3 mil espécies vegetais, mais de 1.500 morfoespécies de insetos e 102 espécies de mamíferos, além de 56 de anfíbios, 64 de répteis e 391 de aves. Nos últimos 30 anos, cerca de 100 novas espécies de plantas foram descritas com base nas pesquisas apoiadas pela RNV.

Com cerca de 23 mil hectares, a Reserva é aberta ao público todos os dias, das 8h30 às 16h, oferecendo caminhadas em trilhas ecológicas e um Centro de Exposições sobre a Mata Atlântica, além atividades diversas como dinâmicas e oficinas com foco em sustentabilidade. O local conta ainda com estrutura completa para a realização de visitas, eventos, treinamentos e cursos.

Proteção Ecossistêmica

Ao lado da Reserva Natural Vale está localizada a Reserva Biológica de Sooretama (Rebio Sooretama), com cerca de 24 mil hectares. A área é uma unidade de conservação federal, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), e que é protegida com o apoio da Vale, sobretudo no que diz respeito à proteção contra caça e incêndios florestais, principais crimes ambientais sofridos por essas áreas protegidas.

Como resultado das ações de proteção ecossistêmica da Vale realizadas tanto na RNV, quanto na Rebio Sooretama, somente no ano passado foram registradas 185 ocorrências entre caça, apreensão de equipamentos, caçadores, munição e armas de caça. Realizadas com o apoio da Polícia Militar Ambiental, as blitzen preventivas têm o intuito de reduzir ou neutralizar ações que geram impactos negativos à fauna e à flora das duas reservas, que constituem o maior remanescente de Mata Atlântica ao norte do Espírito Santo, com quase 50 mil hectares.

Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA)

A Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (RBMA) funciona como uma unidade autônoma em âmbito nacional, vinculada ao Programa MaB (Man and Biosphere) / UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), do qual o Brasil é signatário, através da Comissão Brasileira do Programa Homem e Biosfera (COBRAMAB), coordenada pelo Ministério do Meio Ambiente.

A RBMA foi criada e reconhecida pela UNESCO em 1991, representando a primeira unidade da Rede Mundial de Reservas da Biosfera em território brasileiro. Desde sua criação, a RBMA passou por fases sucessivas de expansão, sendo atualmente a maior Reserva da Biosfera brasileira, entre as sete existentes, reunindo aproximadamente 35 milhões de hectares distribuídos em 15 dos 17 estados brasileiros abrangidos pelo bioma Mata Atlântica.

 

 

 

 

Fiemg: acesso ao mercado

Ações visam fortalecimento da competitividade do setor metalmecânico

 

Empresários do setor metalmecânico reuniram-se nessa terça-feira, 1º/08, na sede da FIEMG Regional Vale do Aço, paraalinhar e validar a proposta de capacitação gerencial e definir as ações de acesso ao mercado, por meio do Programa de Competitividade às Micro e Pequenas Indústrias – PROCOMPI.

Para o 2º semestre de 2017, quatro ações serão realizadas: Capacitação empresarial na área comercial, Lean Manufacturing, Missão de Prospecção comercial na 26ª Feira de Subcontratação e Inovação Industrial – Mercopar, em Caxias do Sul - RS e Missão de Prospecção comercial na 5ª Feira Multissetorial do Vale do Rio Grande – Expocigra que acontece em Uberlândia, ambas agendadas no mês de outubro.

O Programa fruto da parceria entre a CNI – Confederação Nacional da Indústria e o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, visa aumentar a capacidade gerencial, inovadora e associativa e a sustentabilidade ambiental das indústrias, além de fortalecer os grupos setoriais e estimular a estruturação da governança dos projetos apoiados e dos Arranjos Produtivos Locais.

Em junho, empresas da região visitaram a Brasil Offshore, em Macaé, no Rio de Janeiro onde os empresários participaram de rodadas de negócios com empresas âncoras.

O PROCOMPI é uma ação conjunta do Sistema FIEMG e Sebrae, em parceria com o Sindimiva, Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, Material Elétrico e Eletrônico de João Monlevade - Sime e Arranjo Produtivo Local Metalmecâncio do Vale do Aço.

 

Página 3 de 5