Folha do Comércio

Você está aqui: Vale do Aço Outras Cidades

Outras Cidades

Fiemg: acesso ao mercado

Ações visam fortalecimento da competitividade do setor metalmecânico

 

Empresários do setor metalmecânico reuniram-se nessa terça-feira, 1º/08, na sede da FIEMG Regional Vale do Aço, paraalinhar e validar a proposta de capacitação gerencial e definir as ações de acesso ao mercado, por meio do Programa de Competitividade às Micro e Pequenas Indústrias – PROCOMPI.

Para o 2º semestre de 2017, quatro ações serão realizadas: Capacitação empresarial na área comercial, Lean Manufacturing, Missão de Prospecção comercial na 26ª Feira de Subcontratação e Inovação Industrial – Mercopar, em Caxias do Sul - RS e Missão de Prospecção comercial na 5ª Feira Multissetorial do Vale do Rio Grande – Expocigra que acontece em Uberlândia, ambas agendadas no mês de outubro.

O Programa fruto da parceria entre a CNI – Confederação Nacional da Indústria e o SEBRAE – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, visa aumentar a capacidade gerencial, inovadora e associativa e a sustentabilidade ambiental das indústrias, além de fortalecer os grupos setoriais e estimular a estruturação da governança dos projetos apoiados e dos Arranjos Produtivos Locais.

Em junho, empresas da região visitaram a Brasil Offshore, em Macaé, no Rio de Janeiro onde os empresários participaram de rodadas de negócios com empresas âncoras.

O PROCOMPI é uma ação conjunta do Sistema FIEMG e Sebrae, em parceria com o Sindimiva, Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas, Material Elétrico e Eletrônico de João Monlevade - Sime e Arranjo Produtivo Local Metalmecâncio do Vale do Aço.

 

Rede Garcia no Paraíso

Uma nova unidade da rede Garcia Supermercados abriu as portas na manhã desta sexta-feira, 21, em Santana do Paraíso. A loja está situada na Av. Carlos Edmundo Landaeta, no Bairro Cidade Nova, e conta com setores de açougue, hortifrúti, padaria, mercearia, entre outros. Acompanhado da esposa, o fundador da rede Garcia Supermercados,  José Garcia, deu as boas-vindas à população e fez as primeiras orientações aos novos funcionários. A abertura da loja ainda contou com um momento ecumênico.

 

Ipatinga pode ter Casa Metropolitana de Apoio a Vítimas de Violência Doméstica

- Proposta deve ser discutida junto a prefeitos de municípios ligados à AMVA e à AMDI -

Numa ação conjunta envolvendo todos os municípios do Colar Metropolitano do Vale do Aço, também a serem beneficiados pela medida, Ipatinga pode sediar em breve uma Casa de Apoio para Mulheres Vítimas de Violência Doméstica. A proposta foi apresentada nesta terça-feira,25, ao prefeito Sebastião Quintão, que a recebeu com muito entusiasmo, numa visita do vereador Leandro Xingó e da empresária Carmelita de Freitas Drummond Mendes, presidentes da Câmara Municipal e do Conselho da Mulher Empreendedora de Coronel Fabriciano, respectivamente.

O encontro, realizado na sala de reuniões do gabinete do prefeito de Ipatinga, contou também com a presença do secretário municipal de Assistência Social, José Osmir de Castro, que viu boas perspectivas para consolidação do projeto e se prontificou a estudar um imóvel na cidade cuja localização e instalações sejam mais adequados à necessidade.

O vereador Leandro Xingó informou que uma audiência pública para tratar do assunto está marcada para 18 de agosto, às 15h, na Câmara de Coronel Fabriciano, e o prefeito Sebastião Quintão sugeriu que uma reunião prévia possa acontecer com a participação de todos os Executivos da região. Ele solicitou à sua assessoria que procure viabilizar o compromisso junto à Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Aço (AMVA), presidida pelo prefeito de Entre Folhas, Aílton Silveira Dias, e a Associação de Municípios pelo Desenvolvimento Integrado (AMDI), que tem como presidente o prefeito de Timóteo, Geraldo Hilário. Leandro Xingó disse que o prefeito de Coronel Fabriciano, Marcos Vinícius, com quem já teve uma conversa informal sobre o assunto, também é favorável à ideia.

 

“OPRIMIDAS E IMPOTENTES”

 

“Sabemos que há um lamentável contingente de mulheres oprimidas, impotentes, até mesmo arrasadas e reféns da violência de seus companheiros, sem dispor de qualquer instrumento de proteção e refúgio na sociedade além de uma Delegacia de Polícia especializada. Este realmente será um importante mecanismo de defesa das vítimas, servindo também como novo e relevante fato inibidor das agressões”, comentou Quintão.

Em todo estado de Minas Gerais, há apenas duas entidades do gênero, uma em Montes Claros e outra em Belo Horizonte, que atende a nove municípios da Região Metropolitana. As vítimas normalmente são assistidas por no máximo 90 dias, período em que dispõem de psicólogos, assistência social e jurídica e também participam de oficinas profissionalizantes.

 

ESTATÍSTICAS

 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), em estudo conduzido em dez países, incluindo o Brasil, até 71% das mulheres com idade entre 15 e 49 anos já sofreram violência física e/ou sexual em algum momento das suas vidas. Na América Latina a violência doméstica afeta até 50% das mulheres, gerando uma redução de 14,2% do Produto Interno Bruto (PIB) devido aos custos gerados.

No Brasil, 23% das mulheres se tornam vítimas da violência doméstica, o que significa que a cada quatro minutos uma mulher é agredida. Dos agressores, 85% são os próprios parceiros.

Combate a incêndios florestais

A Cenibra inicia hoje sua campanha anual de prevenção e combate a incêndios florestais. Por meio de mensagens de conscientização, busca alertar sobre os prejuízos das queimadas para o meio ambiente e para a sociedade. Além de prejudicar a biodiversidade das áreas, impactar na qualidade do ar e saúde, o ato é crime. Uma pr ática comum na zona rural, o uso do fogo (queimada) para limpeza do solo, pasto ou plantação, deve respeitar os critérios determinados por lei (recomendações do IEF), sem comprometer a terra e os recursos naturais. Contudo, é fundamental estar atento à legislação ambiental, no que diz respeito ao Incêndio Florestal.

A Lei n. 9.605 /98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, em seu artigo 41 tipifica como crime contra a flora, a conduta de provocar incêndio em mata ou floresta.

 

Art. 41.  Provocar incêndio em mata ou floresta:

 

Pena - reclusão, de dois a quatro anos, e multa.

 

Parágrafo único. Se o crime é culposo, a pena é de detenção de seis meses a um ano, e multa.

 

Melhorias no sistema de proteção patrimonial daCenibra são primordiais, principalmente em prol da segurança dos ativos ambientais e plantios. Parte desse aperfeiçoamento foi a implantação de novas tecnologias para a prevenção e combate a incêndios florestais nos 54 municípios de atuação da Empresa, cobrindo uma área de aproximadamente 250 mil hectares - sendo 51% de plantio; 41% de preservação permanente, reserva e floresta nativa; 7% de infraestrutura.

 

Iniciado em 2015, na região de Belo Oriente, e após excelentes resultados, o sistema foi expandido para as demais Regionais. Os investimentos no monitoramento de alta precisão propiciaram ainda novas condições de trabalho aos empregados no que diz respeito a ergonomia e conforto. A Empresa disponibiliza às comunidades um telefone gratuito para receber informações sobre incêndios florestais:0800 283-1291. Após receber a ligação, uma equipe da Empresa verifica a veracidade das informações e toma as devidas providências.

 

Operando 24 horas por dia, a Central de Monitoramento possui profissionais capacitados, que dispõe de monitores com várias telas simultâneas mostrando diversos pontos das florestas e o apoio de uma equipe de observadores de campo treinada, que faz rondas terrestres e está preparada para atuar na contenção do fogo quando a situação exige. Além da brigada que está sempre a postos. Nesse aspecto, o sistema trouxe também ganhos em segurança, pois a equipe de campo passou a ter informações mais precisas, para atuar de forma mais adequada na conten ção, quando necessário. Além da proteção patrimonial e do meio ambiente com o combate a incêndios, outras possibilidades estão sendo identificadas com o uso do sistema. É possível, por exemplo, identificar ataques de insetos, como a do percevejo bronzeado que muda a coloração da vegetação, facilitando a identificação da área atingida por pragas.

 

‘GARIMPANDO OPORTUNIDADES’

Prefeitos da região se reúnem para discutir ações de desenvolvimento

Com apoio da Usiminas, entidades organizadas e órgãos consultivos, Executivos progridem no debate de estratégias para reaquecimento da economia no Vale do Aço

Em reunião que contou com a participação de três dos quatro prefeitos da Região Metropolitana do Vale do Aço, na tarde de terça-feira,25, na unidade Regional da FIEMG – Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, foram discutidas novas ações para criação de um ambiente favorável de negócios entre os empreendedores e as administrações públicas locais, dentro do programa “Garimpando Oportunidades”.

A agenda do encontro, com o apoio da AMVA – Associação dos Municípios da Microrregião do Vale do Aço, Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ADI – Agência de Desenvolvimento de Ipatinga, foi aberta também para a apresentação do programa ‘Pacto por Ipatinga’, concebido pela nova administração municipal e que envolve 15 metas de organização administrativa e serviços públicos, regularização fundiária, geração de receitas e incentivos ao desenvolvimento, melhorias nas áreas de saúde, segurança pública, cultura, esporte, lazer e educação, entre outros benefícios. O conjunto de ações,

com adoção de práticas e tecnologias gerenciais que contribuam para a ampliação da capacidade de governança e governabilidade, promovendo a economicidade e aumentando a eficácia de atendimento ao cidadão, foi apresentado pelo prefeito Sebastião Quintão e o secretário Extraordinário Régis Carlos.

 

Leia mais...

Página 4 de 5