Folha do Comércio

Destaques:
Você está aqui: Vale do Aço Coronel Fabriciano

Coronel Fabriciano

Audiência para Implantar abrigo regional para mulheres vítimas de violência

- Xingozinho, que também é autor do projeto, defende importância e urgência do serviço para garantir segurança e saúde das mulheres e seus filhos -

A implantação da Casa de Abrigo para mulheres vítimas de violência doméstica na região dá mais um importante passo. Nesta sexta-feira,18, lideranças políticas, representantes do Judiciário, Polícia Civil e Militar e de entidades de defesa dos Direitos das Mulheres em nível regional e Estadual participarão de audiência pública para viabilizar este importante serviço para a comunidade do Vale do Aço.

A audiência pública foi convocada pelo presidente da Câmara Municipal de Coronel Fabriciano, Leandro Xingó, o Xingozinho (PSD), e acontecerá no plenário da casa legislativa, às 15h. O vereador também é o autor do Projeto de Lei 2.824/2017, que dispõe sobre a criação da “Casa de Abrigo” de âmbito regional para atendimento de mulheres em situação de violência doméstica, aprovado por unanimidade em 8 de março, por ocasião ao Dia Internacional das Mulheres.

“Desde a aprovação do nosso projeto, fizemos levantamento de dados técnicos, visitas às iniciativas similares, reuniões com os prefeitos das cidades do Vale do Aço, representantes do Judiciário, Legislativo, entidades e lideranças em nível Estadual e Federal. Na audiência, pretendemos sair já com ações práticas para efetivar o serviço o quanto antes. A iniciativa partiu do nosso mandato, mas o objetivo é beneficiar o Vale do Aço como um todo”, argumenta o Xingozinho.

Na audiência pública está confirmada a presença de Ermelinda Ireno, superintende do Consórcio Intermunicipal Mulheres das Gerais, responsável pela gestão do Abrigo Sempre Viva, na Capital Mineira e em funcionamento desde 1997.

 

Casa no Vale do Aço

 

A proposta da Casa de Abrigo às mulheres vítimas de agressões prevê atendimento médico, odontológico, jurídico e assistencial gratuitos. Além de abrigar as vítimas, o projeto prevê a realização de oficinas para reinserção destas mulheres ao mercado de trabalho e serviços de assistencial social e educacional para os filhos das vítimas abrigadas. Caberá a Delegacia de Defesa da Mulher, ao Poder Judiciário e aos Conselhos Municipais fazer o encaminhamento das vítimas de qualquer tipo de violência, respeitando também o desejo de cada uma para o acolhimento.

O projeto prevê ainda estabelecimento de parcerias os setores público e privado para desenvolvimento de atividades recreativas, culturais e esportivas. Também está assegurada a participação de representantes da sociedade civil está garantida na Lei através de um Conselho Diretivo e tripartite a ser nomeado. O custeio do serviço será feito via Consorcio Intermunicipal rateado entre as cidades que utilizarão o serviço.

Estagiários da UTI terminam estudo no HMU

Os primeiros estagiários do Hospital Metropolitano Unimed terminaram as aulas na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) na última semana. Os alunos do oitavo período da Faculdade de Medicina do Vale do Aço (UNIVAÇO), Otávio Silva Salles Barbosa e Ryan Costa Duarte acompanharam as rotinas da UTI por 20 dias sob a supervisão do coordenador da UTI da Unimed Vale do Aço, Dr Norberto de Sá Neto. O estágio teve duração de 120 horas.

De acordo com o médico, o período de estudo foi muito proveitoso. Foi um estágio piloto, nunca tínhamos aberto o hospital oficialmente para acadêmicos. Os alunos foram escolhidos por meio de um processo seletivo na faculdade e iniciaram o estágio. E o projeto era que eles acompanhassem a rotina da UTI e conhecessem os outros setores do hospital. E o que posso dizer é que os alunos tiveram um bom aproveitamento, discutiram os casos, participaram da nossa rotina, da corrida de leito e acompanharam todos os procedimentos realizados nos pacientes da UTI, explicou o coordenador da UTI.

 

APRENDIZADO

 

E o feedback dos alunos sobre o estágio também foi positivo. Os alunos me relataram terem ficado muito satisfeitos e acho que o grande detalhe que o hospital oferece é a diferença na rotina e no tratamento que é feito com os pacientes. Pois é diferente do que os alunos estão acostumados a vivenciar em hospitais públicos. Porque no HMU o paciente tem acesso a uma tecnologia acima da média, então eles viram como funciona esses rol de equipamentos e materiais no nosso hospital, informou Dr Noberto.

De acordo com os estudantes de medicina, desde o momento da aprovação para o estágio, eles viveram uma grande expectativa. Sem sombra de dúvidas, nossos anseios foram superados. Fomos muito bem recebidos por toda equipe do HMU, que nos acompanhou em toda nossa estadia. Nunca tínhamos tido contato com o ambiente da UTI e obtivemos experiências que sem dúvidas vamos levar por toda vida profissional, inclusive os princípios do cooperativismo, muito bem praticado na instituição. Só temos a agradecer a todos os cooperados, principalmente ao Dr. Norberto, idealizador do estágio, à equipe da UTI e aos membros do Núcleo de Desenvolvimento Humano pela organização e apoio, afirmou o aluno Ryann Costa Duarte.

 

PRÓXIMO

 

Toda a organização do estágio e o encaminhamento dos alunos foram feitos pelo Núcleo de Desenvolvimento Humano (NDH). Esse primeiro grupo faz parte de um projeto de educação médica continuada que foi implantando na UTI. Inicialmente foi focado em apenas uma área, pois queremos aprender como se faz estágio, fazer esse contato com a faculdade e com os alunos. E dando certo vamos realizar estágio também em outras áreas, afirmou o coordenador do NDH, Dr Paulo Henrique Lemos.

De acordo com Dr Norberto de Sá Neto, ainda durante o período de estágio na UTI, outros médicos o procuraram interessados em receber estagiários em outras áreas do HMU. O bloco já me procurou para saber como funciona o estágio e a oncologia também. Inclusive durante o estágio a Ana Carolina e o Dr Alfredo da oncologia me procuraram para saber como que aconteceu o processo e como é feito. Então criamos uma porta de entrada para outras áreas que estão querendo também pleitear estágios, contou.

E ainda segundo Dr Norberto, para o final do ano já está previsto mais um estágio na UTI. A partir de agora vai abrir uma brecha para no final do ano fazermos um estágio com um período maior e já estamos pensando em um estágio multidisciplinar, com estudantes de medicina, fisioterapia, enfermagem e psicologia. Todas essas as áreas na UTI para discutirmos também, porque na verdade o que queremos é formar uma estrutura para receber esses alunos, sempre pensando na educação e no que podemos fazer de melhor para esses acadêmicos, concluiu o coordenador da UTI.

Prefeito de Fabriciano demite secretária de Educação

O prefeito de Coronel Fabriciano, médico Marcos Vinícius, demitiu,  no dia 17 de julho de 2017,  a secretária de Educação, Ana Marta de Souza Inês, da cota do ex-vereador Eugênio Pascelli.

No lugar dela assume, numa reunião de secretariado, o professor Carlos Alberto Serra Negra, que deixa a pasta de Administração para José Márcio, que vem da Assessoria de Controle Interno.

Atleta fabricianense de Jiu-Jítsu disputou torneio no Rio de Janeiro

Entre os dias 27 e 29 de julho, a cidade de Coronel Fabriciano foi representada na cidade maravilhosa, Jeferson Silva, 36, morador da cidade irá lutar o World Series 2017 torneio que reunirá os maiores nomes do Jiu-Jítsu nacional no Rio de Janeiro.

Competindo na categoria Super Pesado Master 2 até 100 kg, Jeferson Silva, o “Jefão Faraó”, espera repetir o sucesso que obteve nas ultimas competições e até melhorá-los. Este será o terceiro torneio de nível internacional que o morador de Fabriciano disputa.

Em competições anteriores o lutador alcançou dois terceiros lugares e ficou na quinta colocação no Campeonato Brasileiro, torneio este, disputado na cidade de São Paulo.

 

Mais competições

 

No mês de agosto, Faraó continuará no ritmo das competições internacionais, dessa vez, em Vitória, no Espírito Santo, onde lutará no Vitória Internacional Open IBJJF Jiu-Jítsu Championship.

Para o atleta a participação nessas competições é fruto de muito treinamento. “Trabalho duro nos treinos para que eu possa dar o meu melhor nas competições. Para isso conto com o total apoio do meu mestre Phillipe Lira”, destaca Jeferson “Faraó”.

 

Falta de patrocínicio

 

A falta de patrocínios é ainda um grande entrave para que o competidor possa participar de mais torneios e trazer mais medalhas para a região.

“Seria bom o apoio do empresariado da região, pois lutamos não apenas pela gente, mas também pelo orgulho de representar nossa região e acredito que a empresa só tem a ganhar ao apoiar o esporte”, afirma o lutador.

Ao empresário que deseja apoiar o lutador nas duas competições ou em alguma delas, Jeferson deixa o contato dele. “Para quem quiser apoiar um atleta da região, me envie um e-mail no endereço Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou me adicione nas redes sociais. No Facebook estou como Jeferson Silva”, conclui o atleta.