Folha do Comércio

Você está aqui: Minas Gerais

Tiradentes e Camanducaia chegam ao topo do ranking do turismo nacional

 

Postado em 20-02-18 às 11h05

- As duas cidades mineiras atingiram a categoria A no Mapa do Turismo Brasileiro, divulgado pelo governo federal -

Tiradentes e Camanducaia (onde fica o distrito de Monte Verde) atingiram o topo do ranking do turismo nacional. É o que diz a nova categorização do Ministério do Turismo, divulgada r\ecentememte, que identifica o desempenho da economia do setor nos municípios que constam no Mapa do Turismo Brasileiro.

O crescimento no número de empregos formais no setor de hospedagem, bem como dos estabelecimentos formais de hospedagem, e o aumento do fluxo turístico doméstico e internacional, foram determinantes para que os municípios subissem da categoria B, em 2015, para a categoria A.

Em meio à Serra da Mantiqueira, Monte Verde é destino certo para quem busca baixas temperaturas e muitas opções de gastronomia. Já Tiradentes atrai visitantes durante todo o ano que encontram, na cidade de calçamento de pedra, importantes episódios da história do Brasil, gastronomia impecável e vasta agenda cultural, como os festivais de cinema e de gastronomia.

“Esse resultado mostra que a Secretaria de Estado de Turismo (Setur) está trabalhando, por meio do diálogo, com os circuitos turísticos para fortalecer o setor em Minas Gerais”, afirma o secretário adjunto de Turismo, Gustavo Arrais.

Minas Gerais conta com 555 cidades no Mapa do Turismo Brasileiro, classificadas da seguinte maneira: A (03), B (18), C (80), D (348) e E (106). Além disso, no cenário estadual, Minas Gerais também comemora um crescimento. Em 2016, Minas Gerais possuía 457 municípios regionalizados e em 2017, o número subiu para 601.

“Não mediremos esforços para que, em breve, esse número cresça ainda mais. O objetivo da Setur é transformar Minas Gerais no maior polo turístico do Brasil”, garante Arrais.

Categorização

A partir de quatro variáveis de desempenho econômico - número de empregos, de estabelecimentos formais no setor de hospedagem, estimativas de fluxo de turistas domésticos e internacionais – os municípios foram divididos por letras, que vão de ‘A’ a ‘E’. De acordo com a nova classificação, houve crescimento da atuação do turismo em 358 municípios brasileiros.

Além disso, 189 cidades subiram da categoria ‘E’ para ‘D’, tornando-as aptas a receber recursos federais para promoção de eventos, por exemplo. Isso porque, segundo portaria 39/2017 do Ministério do Turismo, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico.

Comunidade aprova novo projeto urbanístico para povoado destruído em Mariana

Os atingidos da tragédia de Mariana (MG) aprovaram o novo projeto urbanístico para a reconstrução do distrito de Bento Rodrigues, destruído pelo rompimento da barragem de Fundão da mineradora Samarco. Conforme divulgouna sexta-feira, 09, a Fundação Renova, que é responsável pela reconstrução da comunidade, foram 179 votos favoráveis à proposta elaborada, que traz a distribuição das ruas, quadras e terrenos. Apenas uma pessoa votou contra. A decisão foi tomada em assembleia realizada na noite quinta-feira,08.

A assembleia contou com a presença de representantes do governo de Minas Gerais, da prefeitura de Mariana e do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Cada família tinha direito a um voto. Conforme havia sido definido pela comissão de atingidos, a assembleia só poderia ser realizada com a presença de, ao menos, 75% das 226 famílias que moravam no distrito. O quórum mínimo de 169 presentes aptos a votar foi superado.

A tragédia ambiental de Mariana, considerada a maior do país, ocorreu em novembro de 2015. A barragem de Fundão, pertencente à mineradora Samarco, se rompeu e liberou cerca de 39 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Dezenove pessoas morreram. Houve devastação da vegetação nativa e poluição da Bacia do Rio Doce. No município de Mariana, além de Bento Rodrigues, também foi destruído o distrito de Paracatu, cuja reconstrução está igualmente sob a responsabilidade da Fundação Renova.

O terreno onde Bento Rodrigues será reerguido foi escolhido pelos moradores em 2016. A área tem 98 hectares e fica a cerca de 8 quilômetros do centro de Mariana e a aproximadamente 9 quilômetros da antiga comunidade. A reconstrução será integralmente custeada pela Samarco e por suas acionistas Vale e BHP Billiton, conforme consta em acordo assinado entre as três mineradoras, o governo federal e os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. O mesmo acordo previa a criação da Fundação Renova para gerir os programas de recuperação dos danos da tragédia.

Em janeiro de 2017, os moradores já haviam aprovado um projeto urbanístico. No entanto, ele teve que sofrer ajustes, o que justificou a nova votação. “Houve necessidade de alguns reparos, o que exigiu uma nova apreciação. Na versão anterior, a área prevista para urbanização era menor. E em conversa com os órgão públicos, chegou-se ao entendimento de que ali não caberia toda a comunidade. O lote de algumas famílias também não estava identificado e algumas ruas precisaram ser modificadas”, conta o integrante da comissão de atingidos Antonio Pereira Gonçalves, conhecido como Da Lua.

Da Lua lamentou os contratempos no processo. “Atrasou bastante. Já se passaram dois anos. No ritmo atual, não atende mais o que foi previsto, que era entregar à comunidade em 2019. Isso não vai acontecer. Vamos precisar esperar mais um pouco. Mas, de toda forma, é mais um passo que demos com a aprovação do projeto urbanístico”

De acordo com a Fundação Renova, foram seguidas as diretrizes apontadas pela comunidade de Bento Rodrigues durante um processo de escuta que envolveu a comissão de atingidos e a assessoria técnica Cáritas, que assessora os atingidos em Mariana. As próximas etapas envolvem os projetos de engenharia e os estudos ambientais que são pré-requisito para protocolar os pedidos de licença necessários.

O novo distrito buscará preservar, ao máximo, as características originais e os aspectos patrimoniais, urbanísticos e culturais de Bento Rodrigues, sobretudo a relação de vizinhança. “O desenho do projeto urbanístico, a definição do seu tamanho e limites, além da distribuição das ruas e quadras foram definidos a partir de duas outras propostas apresentadas e amplamente discutidas em 23 oficinas, realizadas em novembro de 2017 com 164 famílias. As ponderações da comunidade feitas durante as atividades foram consideradas e incluídas”, informa em nota a Fundação Renova.

Fonte: Agência Brasil

Governo divulga edital de concurso público da Polícia Civil com 76 vagas para delegados

Postado em 07-02-18 às 15h59

- Salário inicial para o cargo de Delegado de Polícia substituto é de R$ 11.475,57 -

- Objetivo do certame é o direcionamento de profissionais para o trabalho nas delegacias regionais do interior do Estado -

O governo de Minas Gerais acaba de publicar o edital do concurso público de provas e títulos da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), para o cargo de Delegado de Polícia substituto (nível inicial da carreira). O edital nº 01/18 foi publicado no Diário Oficial Minas Gerais.

O concurso visa ao preenchimento de 76 vagas para o cargo, com o objetivo de direcionamento para o trabalho nas unidades policiais das Delegacias Regionais de Polícia Civil do interior do estado. As inscrições estarão abertas, neste ano, a partir das 9h do dia 16 de abril e seguem até às 23h do dia 15 de maio, conforme as disposições do edital.

O chefe da Polícia Civil, delegado-geral João Octacílio Silva Neto, destaca a importância do concurso. “Pedimos ao governador e ele nos atendeu com mais esse pleito. Autorizou a realização do concurso para delegado, o que representa um grande ganho para nossa instituição e também para a sociedade”, afirma.

A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, com regime estatutário. O salário inicial para o cargo é de R$ 11.475,57. Conforme o edital, ficam reservadas oito vagas a pessoas com deficiência, o equivalente ao percentual de 10% do total de vagas oferecidas. Ainda segundo o documento, se não houver candidatos com deficiência aprovados ou se o número de pessoas com deficiência habilitadas for inferior ao número de vagas reservadas, essas poderão ser preenchidas por candidatos sem deficiência, seguindo-se a ordem de classificação.

Além, da aprovação no certame, são requisitos para ingressar no cargo o título de bacharel em Direito, a idade mínima de 18 anos (completados até a data da posse), ser brasileiro nato ou naturalizado, estar em dia com as obrigações eleitorais (em caso de candidato do sexo masculino, também com as militares) e estar em pleno exercício dos direitos civis e políticos.

As bancas examinadoras serão a Fundação Mariana Resende Costa (Fumarc) e a Academia de Polícia Civil de Minas Gerais (Acadepol).

Processo

As inscrições deverão ser realizadas exclusivamente por meio da internet nos endereços eletrônicos acadepol.policiacivil.mg.gov.br e www.fumarc.com.br. O valor de inscrição no concurso é de R$ 212, recolhido por meio de Documento de Arrecadação Estadual (DAE).

O Cartão Definitivo de Informação (CDI) não será enviado pelos correios. O documento estará disponível ao candidato, para impressão, nos mesmos endereços eletrônicos utilizados para as inscrições em até cinco dias úteis antes da data provável de aplicação da prova objetiva, que corresponde à primeira etapa dos testes.

INSCRIÇÕES PARA CONCURSOS PÚBLICOS E PROCESSO SELETIVO EM DIVINÓPOLIS SÃO PRORROGADAS

 

VAGAS OFERTADAS: 374

SALÁRIOS DE ATÉ R$ 8.829,79

Postado em 07-02-18

 

As inscrições para os Concursos Públicos e o Processo Seletivo em Divinópolis foram prorrogadas.

· 08/02/2018 - Concurso Público da Prefeitura de Divinópolis;

· 09/02/2018 - Processo Seletivo da Prefeitura de Divinópolis – Agente Comunitário de Saúde;

· 08/02/2018 - Concurso Público Diviprev.

São 330 vagas para o Concurso Público da Prefeitura com salários de até R$ 8.829,79. Também há 40 vagas para o Processo Seletivo para Agente Comunitário de Saúde. Para o Concurso Público DIVIPREV (Instituto de Previdência dos Servidores do município de Divinópolis), há 4 vagas para Agente de Administração.

As taxas de inscrição começam a partir de R$ 40,00 e variam conforme o cargo.

As inscrições para o certame serão realizadas via Internet, através do sitewww.ibfc.org.br.

Para efetuar sua inscrição, o candidato deverá realizar os seguintes procedimentos:

  • Ler atentamente o Edital e o Formulário Eletrônico de Inscrição;
  • Preencher o Formulário Eletrônico de Inscrição e transmitir os dados pela Internet, providenciando a impressão do comprovante de Inscrição Finalizada;
  • Imprimir o boleto bancário e efetuar o pagamento da importância referente à inscrição, descrita conforme o Edital.

Os editais encontram-se disponíveis no site da empresa responsável pela execução do concurso, o IBFC – Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação – www.ibfc.org.br.

Empresas têm até 30 de abril para evitar cancelamento administrativo de 2017

Postado em 06-02-18 às 13h02

- De acordo com a Junta Comercial de Minas Gerais, 27.754 empresas podem ficar sujeitas ao cancelamento administrativo -

Até o dia 30 de abril, 27.754 empresas que não deram entrada em qualquer documento, nos últimos dez anos, na Junta Comercial de Minas Gerais Jucemg) poderão ser canceladas administrativamente.

A Jucemg prorrogou o prazo antes fixado em 31/12/2017 para 30/4/2018, após o cumprimento das regras legais como a publicação de três editais de notificação (28/9, 24/10 e 29/11), comunicando sobre o procedimento. Em 2016, foram 29.466 negócios cancelados.

De acordo com a diretora de Registro Empresarial da Junta Comercial, Lígia Xenes, o objetivo do alerta é convocar as empresas a se atualizarem no Cadastro Nacional de Empresas Mercantis (CNE).

O cancelamento administrativo não promove a extinção da empresa, apenas declara sua inatividade liberando a utilização de seu nome empresarial, já que esta perde a proteção do nome empresarial garantida no registro, e ainda enviando, de forma automática, a situação de inatividade às autoridades arrecadadoras – Receita Federal, Receita Estadual, INSS e Caixa Econômica Federal, conforme prevê a legislação.

Para evitar o cancelamento, a empresa, por meio de seu representante legal, deve comunicar à Jucemg, dentro do prazo estipulado, que deseja mantê-la em funcionamento ou informar a paralisação temporária de suas atividades, conforme o caso, ou ainda arquivar alteração dos dados ocorridos na ultima década.

Para a diretora da Jucemg, a queda nos números deste ano está associada há uma maior integração de dados com os órgãos envolvidos na formalização da empresa e na baixa simplificada, que desburocratizou e facilitou a legalização da extinção/baixa  de empresas.

Estão sujeitas ao Cancelamento Administrativo anual as sociedades empresárias, os empresários, as empresas individuais de responsabilidade limitada e as cooperativas. A medida é feita com base nas disposições do artigo 60 da Lei Federal 8.934/1994, nos artigos 32, inciso II, alínea “h” Decreto Federal 1.800 de 30/01/1996, e ainda no art. 1º da Instrução Normativa DREI Nº 5 de 5 de dezembro de 2013

Carnaval de Belo Horizonte terá circuito gastronômico

 

Postado em 19-01-18 às 12h22

Carnaval Gastrô aproveita as festividades para exaltar a culinária mineira

A cadeia produtiva de Belo Horizonte está atenta ao crescimento do Carnaval. Com previsão de 3,6 milhões de foliões na cidade durante a festa, quase 40 bares e restaurantes se uniram para a realização de um circuito gastronômico. A ideia do Carnaval Gastrô é aproveitar a grande movimentação de turistas e belo-horizontinos no período momesco para promover a culinária mineira – um dos principais atrativos turísticos da cidade – e, com isso, impulsionar seus negócios.

“Bares e restaurantes costumavam fechar as portas na sexta-feira que precede o Carnaval pra só abrir após a Quarta-feira de Cinzas; hoje isso mudou”, afirma Ricardo Rodrigues, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-MG). O Carnaval Gastrô reúne 38 estabelecimentos, que oferecem pratos e petiscos a preços especiais no período carnavalesco. O projeto é da Abrasel em parceria com a Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur.

Márcia Nunes, proprietária do restaurante Dona Lucinha (matriz), que participa do festival com o prato ‘Cocoricó’, resume essa mudança de mentalidade no setor: “O Carnaval de três anos atrás foi um divisor de águas. Até então toda a equipe do restaurante ficava resistente em abrir, pois não havia movimento. De repente, tudo mudou: hoje a gente espera pelo Carnaval. A expectativa é positiva”. Para 2018 a projeção é de um aumento ainda maior no fluxo de clientes, impulsionado pelo crescente número de turistas na cidade no período. “Quem vem de fora quer conhecer a comida mineira, nós temos um movimento muito grande de turistas no Carnaval”, explica Márcia.

A aposta dos bares e restaurantes participantes do projeto é o grande público levado pelos blocos de rua. É o caso do Köbes Bar, no Santa Tereza, que vai servir o ‘Chicken Uai’: “Até três anos eu fechava o bar”, diz o proprietário Gustavo Alves. “Foi quando os blocos começaram a movimentar o bairro que passei a funcionar durante o Carnaval”. Com a mesma proposta, o Chef Túlio, também no Santa Tereza, apresenta o ‘Mexidão Carnaval’, para repor as energias dos foliões.

Localizado no Prado, o Agosto Butiquim adota uma estratégia diferente: “A gente tem uma ligação forte com o Carnaval, desde 2007, 2008... Já fizemos concursos de fantasias, concurso de Carmen Miranda, mas estamos longe da maioria dos blocos, então promovemos música ao vivo no sábado de Carnaval para buscar um público que quer uma folia mais tranquila”, explica o sócio-proprietário, Lucas Brandão, que participa com o prato Sereno do Serro.

Criatividade

Para atrair os foliões, alguns estabelecimentos usaram a criatividade para nomear seus pratos. O Assacabrasa batizou seu ‘tropeirinho com lombo e torresmo’ de ‘Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Feijão’. A Pizzaria Parada do Cardoso homenageou a escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense e vai servir a Pizza Imperial. Já a Choperia Redentor oferece o Jabá Porta-Bandeira.

Carnaval de Belo Horizonte 2018

O Carnaval de Belo Horizonte, que acontece oficialmente do dia 27 de janeiro a 18 de fevereiro, se tornou um dos mais surpreendentes do país. Para este ano, a expectativa é de 3,6 milhões de foliões, 20% a mais que em 2017.  Para se ter uma ideia, serão cerca de 480 blocos de rua com 550 desfiles.

Entre as novidades estão os nove palcos oficiais distribuídos entre as regionais, descentralizando ainda mais a programação na cidade. Além disso, melhorias estruturais acontecerão na Avenida Afonso Pena para o desfile das escolas de sambas e blocos caricatos. Pela primeira vez na história da cidade, a avenida será pintada de branco para valorizar as fantasias e adereços, assim como acontece nos sambódromos. No local será instalado ainda um cronômetro para a contagem do tempo dos desfiles.

A festa momesca em Belo Horizonte tem o patrocínio da Skol, parceira há cinco anos na folia da capital, e da Uber, nova incentivadora do Carnaval.


SERVIÇO

Carnaval Gastrô

De 21 de janeiro a 18 de fevereiro.

Preços variam entre R$ 10 e R$ 59.

Crea-Minas tem novo presidente

Postado em 18-01-18 às 11h45


- Lucio Borges é eleito para comandar o Conselho Mineiro no triênio 2018/2020. Além dele, foram escolhidos os responsáveis pelas 63 inspetorias presentes em todo o Estado -

O engenheiro civil Lucio Borges foi eleito pelos profissionais da área da engenharia, agronomia, geologia, geografia e meteorologia de Minas Gerais presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-Minas), gestão 2018/2020. As eleições ocorreram no dia 15 de dezembro de 2017 em todo o estado com a utilização de urnas eletrônicas. O engenheiro contou com o voto de aproximadamente 70% dos 8.904 eleitores que compareceram ao pleito. Lucio Borges será o sucessor do engenheiro civil Jobson Andrade, que presidiu a autarquia por dois mandatos consecutivos.

Os eleitores escolheram também os diretores regionais das Caixas de Assistência dos Profissionais dos Creas, a Mútua, além dos inspetores das 63 unidades de atendimento do Conselho em todo o estado. As eleições ocorreram nos Creas de todo o Brasil e também no Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), com sede em Brasília.

Por meio de um convênio firmado entre o Crea-Minas e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG), foram disponibilizadas 358 urnas, distribuídas em 106 cidades mineiras. Os equipamentos foram instalados na sede, em Belo Horizonte, nas inspetorias e nos escritórios de representação no interior, além de empresas, instituições de ensino e entidades de classe de todo o estado. 

Além do apoio de equipamento, houve ainda o apoio técnico com a presença em tempo integral, na sede do Conselho, de um funcionário do TRE durante toda a votação e apuração das urnas eletrônicas. A eleição também foi acompanhada, em grande parte do dia, pelo juiz eleitoral Renato Jardim. Nas inspetorias e locais de votação, onde havia cartórios eleitorais nas cidades, os funcionários do TRE deram apoio acompanhando, principalmente, a emissão da Zerésima e do Boletim de Urna, onde consta o resultado final da votação de cada urna.

Já pode ter licenciamento em cinco minutos. Demorava 40 dias

Postado em 04-01-18 às 17h48

- A agilidade dos bombeiros com a informatização, sem deixar de lado a segurança, se soma aos esforços do próprio governo na abertura de empresas em tempo reduzido -

Com o objetivo de simplificar, desburocratizar procedimentos e facilitar a retomada da economia mineira, o Governo do Estado -- por meio do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) -- inovou na concessão de licenciamento para novos empreendimentos sem deixar de lado a segurança. Até três meses atrás, o tempo médio para licenciar um empreendimento de baixo risco era de 40 dias, entretanto, com o novo sistema desenvolvido em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MG) bastam cinco minutos na frente do computador para conseguir o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB) no portal da Junta Comercial do Estado de Minas Gerais (Jucemg).

Segundo o capitão Frederico Pascoal, da Divisão de Gestão do Serviço de Segurança contra Incêndio do CBMMG, Minas Gerais chegou à segunda geração no licenciamento para concedê-lo de forma automática, desde que não haja necessidade de obras ou adequação do imóvel. Isso significa atender a mais de 70% dos pedidos sem nenhuma cobrança adicional.

Na primeira geração, em 2006, a instituição classificava os pedidos de licenciamento em quatro cores: branca e verde sem nenhum risco, amarela e vermelha com algum risco. Exigia-se do futuro empreendedor uma grande quantidade de documentos. Agora com o fim das cores nas 1.300 atividades catalogadas, apenas 200 estão sendo classificadas com algum risco de incêndio. Em algumas situações gastava-se até um ano para o chamado licenciamento rápido.

Os bombeiros asseguram que os critérios ficaram mais objetivos e o interessado responde a nove perguntas, entre elas se o endereço será de domicílio fiscal, local onde não são exercidas atividades comerciais. Exemplo disso são as empresas de consultoria, profissionais autônomos e e-commerce sem estoque, entre outros. O sistema pede a área do imóvel, quantos andares, capacidade de público e se a atividade vai utilizar gás ou outro produto inflamável, bem como a quantidade a ser armazenada.

Em geral, pequenos restaurantes, lanchonetes, hospedagens e cabeleireiros são de baixo risco. Enquanto postos de gasolina e boates são sempre classificados como de alto risco. O mesmo ocorre agora com creches e escolas infantis. “Simplificamos os métodos de classificação de riscos e quais os tipos de empreendimentos que poderiam receber tratamento diferenciado. Hoje temos condição de priorizar vistorias de fiscalização de empresas de alto risco”, explicou capitão Frederico Pascoal.

Na prática, houve informatização e integração dos procedimentos com ação conjunta do Corpo de Bombeiros, Sebrae-MG e Junta Comercial. Contudo, a liberação da vistoria para a maioria das empresas não impede que os bombeiros, com poder de polícia, fiscalizem a qualquer tempo um estabelecimento, inclusive mediante denúncia. Caso haja constatação de que houve falha nas informações, o licenciamento automático pode ser cancelado. Mesmo assim, a interdição só vai ocorrer se existir risco iminente.

Passo a passo para o licenciamento

Para o capitão Frederico, que se reuniu com a Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) para mostrar as facilidades, o novo sistema traz ainda transparência para que todos realizem os procedimentos para o licenciamento automático sem intermediários, apenas utilizando o portal da Jucemg www.jucemg.mg.gov.br Ele lembra do lançamento da cartilha que demonstra passo a passo como requerer o licenciamento. Essa cartilha se encontra no site www.bombeiros.mg.gov.br onde também é possível acompanhar todas as etapas ou o status de um processo para licenciar uma empresa definida como de alto risco.

Inscrições para programa de treinamento no Japão começam nesta quarta

 

Postado em 03-01-18

- Província de Yamanashi, estado irmão de Minas Gerais, oferece bolsa para servidor do estado para treinamento no Japão -

O Governo do Estado de Minas Gerais inicia, nesta quarta-feira (3/1), as inscrições para os servidores interessados em participar do Programa de Treinamento de Funcionários do Governo Local 2018 (LGOTP 2018), do Governo de Yamanashi, Japão.

Tal possibilidade é fruto da cooperação internacional estabelecida entre o Estado de Minas Gerais e a Província de Yamanashi desde 1973. Em razão da parceria entre as regiões, o Governo Japonês agracia pessoas de diversas regiões do mundo com bolsas para um intensivo treinamento no Japão. Desde o seu início, já foram beneficiadas mais de 1.300 pessoas de 36 países.

Nessa edição será oferecida 01 (uma) bolsa de treinamento para os servidores públicos do estado de Minas Gerais. O programa terá duração de 8 meses, com início em 20 de maio de 2018 e término em 18 de janeiro de 2019.

O candidato que deseja concorrer à bolsa deve possuir ensino médio completo (concluído no Brasil), idade entre 20 e 39 anos, bom estado de saúde, nível de inglês e/ou japonês avançado e estar à disposição para fortalecer as relações entre Yamanashi e Minas Gerais durante o treinamento e após o retorno ao Brasil.

A inscrição, que pode ser realizada até 17 de janeiro de 2018, se dará mediante o preenchimento dos formulários disponíveis abaixo e posterior entrega de toda documentação exigida ao Núcleo de Relações Internacionais da
Secretaria de Estado de Casa Civil e de Relações Institucionais (Seccri) - Cidade Administrativa, 2º andar – Edifício Tiradentes.

Confira, a seguir, todos os formulários necessários disponíveis para download para a inscrição de servidores públicos:

-
Cover Letter (Arquivo em formato PDF)
-
LGOTP Invitation Guidelines (Arquivo em formato PDF)
-
Application Instructions 2018 (Arquivo em formato PDF)
-
Application Form 2018 (Arquivo em formato DOC)
-
Pledge 2018 (Arquivo em formato DOC)
-
Medical Checkup 2018 (Arquivo em formato DOC)
-
Trainee Dispatch Notice (Arquivo em formato PDF)
-
Summary of Sending Organization (Arquivo em formato PDF)
- Formulários Preenchidos:
Application Form 2018, Pledge 2018 e Medical Checkup 2018 (Arquivos em formato PDF)

Seleção e benefícios

O processo seletivo será constituído de três etapas. A primeira, que possui caráter eliminatório, corresponde a análise objetiva dos documentos apresentados. Só participarão da segunda etapa, que consiste em uma entrevista presencial realizada no Consulado do Japão, os candidatos que apresentarem toda a documentação exigida e forem selecionados pela Comissão Julgadora, no prazo estabelecido.

Na segunda etapa, os selecionados serão convocados, por meio dos contatos informados, para a realização da entrevista com a Comissão Julgadora instalada no Consulado do Japão, nas quais deverão utilizar seus conhecimentos em língua inglesa e/ou japonesa.

Por fim, na terceira etapa, a Província de Yamanashi examinará a documentação dos 3 (três) classificados, bem como o relatório de suas entrevistas e adequação do projeto apresentado às linhas de pesquisa/trabalho, para classificação final.

A documentação exigida deverá ser entregue em envelope individual, dentro do prazo de 3 a 17 de janeiro de 2018, não sendo possível qualquer espécie de retificação acerca do conteúdo apresentado.

O trainee selecionado receberá a bolsa do programa Local Officials Training Programme de 2018. Além do treinamento, o selecionado terá os custos com a passagem área, acomodação e transporte interno oferecidos pelo governo de Yamanashi

Dúvidas podem ser direcionadas ao Núcleo de Relações Internacionais pelo e-mail:
Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. .

Página 1 de 4