Folha do Comércio

Você está aqui: Vale do Aço

CONTA DE LUZ: 2018 começa com bandeira tarifária verde

Postado em 02-01-18 (Por Cintia Moreira)

2018 começou com uma boa notícia para os brasileiros: a conta de luz vai ficar mais barata em janeiro. Isto porque a Agência Nacional de Energia Elétrica determinou que a bandeira tarifária neste mês vai ser da cor verde, ou seja, não terá custo extra para o consumidor.

Em dezembro de 2017 a bandeira foi vermelha patamar 1, uma das tarifas mais caras, com custo de R$ 3,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. Esta tarifa só fica atrás da vermelha patamar 2. Este aumento costuma ocorrer por conta da necessidade de operar usinas térmicas mais caras para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas.

Mas mesmo que a cor da bandeira tenha mudado para a verde e indique condições favoráveis de geração hidrelétrica no Sistema Interligado Nacional, é preciso que o consumidor use a energia de forma consciente e combata o desperdício. Quem dá algumas dicas de como economizar e gastar menos é o pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz.

“O chuveiro elétrico gasta muito. Então eu tenho que fazer uma banho eficiente. Deixar menos tempo o chuveiro ligado, economizar o uso daquilo ali. Não vamos cantar no banheiro que vai gastar muita eletricidade. Quem é o outro vilão também é a geladeira. Então vamos abrir e fechar menos a geladeira. Eu vou dar um terceiro, que é o ferro elétrico, que gasta muita energia também. É melhor acumular a roupa e passar menos vezes. Se você todo dia passa roupa, passa roupa, você tem um período que vai esquentar o ferro e vai gastar muito. Então, também cuidado para você não ficar toda a hora usando aquele ferro elétrico de passar roupa”, afirmou.

A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica também sugere que os consumidores limpem regularmente o filtro do ar condicionado e só o ligue com o ambiente fechado; troquem as lâmpadas incandescentes pelas de LED, que são mais econômicas; apague a luz sempre que sair; deixe a TV ligada só quando alguém estiver assistindo; espere para lavar roupa e louça, quando a máquina estiver cheia, e se puder, pinte o interior da casa com cores claras, para refletir melhor a luz.

Lembrando que as concessionárias não interligadas ao Sistema Interligado Nacional, o SIN, não participam do sistema de Bandeiras Tarifárias, como ocorre com a distribuidora Boa Vista Energia e a permissionária CERR, localizadas no Estado de Roraima.

Outra informação que merece destaque é que na segunda quinzena do ano passado, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu que os valores com subsídios ao setor elétrico vão custar R$ 18,8 bilhões a mais nas contas de luz em 2018. Segundo a decisão, o valor vai ser destinado à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) e subsidiará as contas de luz de famílias de baixa renda; servirá para o pagamento de indenizações a empresas, e para compra de combustível usado pelas usinas termelétricas que geram energia na Região Norte e para o programa Luz para Todos.

Este impacto nas tarifas vai ser diferente para os consumidores de energia elétrica das regiões Norte e Nordeste, onde o aumento será de 0,77% na conta. Já para quem mora nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o impacto será de 2,72% nas tarifas de energia.

O que são bandeiras tarifárias?

É o Sistema que sinaliza aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. O funcionamento é simples: as cores das Bandeiras (verde, amarela ou vermelha) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade. Com as Bandeiras, a conta de luz fica mais transparente e o consumidor tem a melhor informação para usar a energia elétrica de forma mais consciente.

Qual a diferença entre as Bandeiras Tarifárias e as tarifas de energia elétrica?

É importante entender as diferenças entre as Bandeiras Tarifárias e as tarifas propriamente ditas. As tarifas representam a maior parte da conta de energia dos consumidores e dão cobertura para os custos envolvidos na geração, transmissão e distribuição da energia elétrica, além dos encargos setoriais.

As Bandeiras Tarifárias, por sua vez, refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Dependendo das usinas utilizadas para gerar a energia, esses custos podem ser maiores ou menores. Antes das Bandeiras, essas variações de custos só eram repassadas no reajuste seguinte, o que poderia ocorrer até um ano depois. Com as Bandeiras, a conta de energia passou a ser mais transparente e o consumidor tem a informação no momento em que esses custos acontecem. Em resumo: as Bandeiras refletem a variação do custo da geração de energia, quando ele acontece.

Quando a bandeira está verde, as condições hidrológicas para geração de energia são favoráveis e não há qualquer acréscimo nas contas. Se as condições são um pouco menos favoráveis, a bandeira passa a ser amarela e há uma cobrança adicional, proporcional ao consumo, na razão de R$ 1,00 por 100 kWh (ou suas frações). Já em condições ainda mais desfavoráveis, a bandeira fica vermelha e o adicional cobrado passa a ser proporcional ao consumo na razão de R$ 3,00 por 100 kWh (ou suas frações), para a bandeira vermelha - patamar 1;  e na razão de R$ 5,00 por 100 kWh (ou suas frações), para a bandeira vermelha - patamar 2. A esses valores, são acrescentados os impostos vigentes.

As Bandeiras Tarifárias são uma conta a mais para o consumidor pagar?

Não. As bandeiras são uma forma diferente de apresentar um custo que hoje já está na conta de energia, mas que geralmente passa despercebido. As Bandeiras Tarifárias não interferem nos itens passíveis de repasse tarifário. Antes das bandeiras, as variações que ocorriam nos custos de geração de energia, para mais ou para menos, eram repassados até um ano depois, no reajuste tarifário seguinte. A ANEEL entendeu que o consumidor deve ter a informação mais precisa e transparente sobre o custo real da energia elétrica. Por isso, as Bandeiras sinalizam, mês a mês, o custo de geração da energia elétrica que será cobrada dos consumidores. Não existe, portanto, um novo custo, mas um sinal de preço que sinaliza para o consumidor o custo real da geração no momento em que ele está consumindo a energia, dando a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim desejar.

A partir deste ano, é possível fazer o alistamento militar pela internet em todo o Brasil

 

Crédito: Agência do Rádio - Postado em 02-01-18

A partir deste ano o alistamento militar poderá ser feito pela internet. Agora o alistamento para fazer parte do Exército Brasileiro, da Marinha do Brasil ou da Força Aérea Brasileira vai poder ser feito de forma online pelo site www.alistamento.eb.mil.br.

Neste ano, é a vez dos jovens que nasceram no ano 2000 se alistarem. Ou seja, todo brasileiro do sexo masculino que completar 18 anos é obrigado a se alistar pela internet ou então deve comparecer a uma Junta de Serviço Militar mais próxima da sua residência. O prazo máximo é até o dia 30 de junho.

Quem optar por fazer o alistamento pela internet deve preencher o formulário e informar o número do CPF para validação dos seus dados pessoais. Agora quem não tem o CPF deve levar os seguintes documentos na junta de Serviço Militar: certidão de nascimento ou no caso de brasileiro naturalizado ou por opção, a prova de naturalização ou certidão do termo de opção; um comprovante de residência ou declaração assinada; e convém também levar um documento oficial com fotografia que permita sua identificação, caso necessário.

Caso perca o prazo, é preciso comparecer a Junta de Serviço Militar mais próxima da sua residência, pagar a multa militar por estar fora do prazo e fazer o alistamento. Esta multa é uma pena, em dinheiro, que é corrigida de três em três meses.

Quem não se alistar dentro do prazo, além de ter que pagar esta multa vai estar em débito com o Serviço Militar e não poderá obter passaporte ou prorrogação de sua validade; não vai poder ingressar como funcionário, empregado ou associado em uma instituição, empresa ou associação oficial, oficializada ou subvencionada; não poderá assinar contrato com o Governo Federal, Estadual, dos Territórios ou Municípios; e prestar exame ou matricular-se em qualquer estabelecimento de ensino.

A lista de feriados prolongados em 2018

Ano terá nove feriados nacionais e cinco pontos facultativos. Ao menos 5 datas cairão em terças ou quintas-feiras, criando os chamados feriados emendados.

2018 acaba de começar, mas já dá para programar as folgas do ano. Serão 9 feriados nacionais e 5 pontos facultativos, sem contar os feriados estaduais e municipais como o do Dia da Consciência Negra e aniversários das cidades.

Apenas dois feriados caem no sábado ou domingo. Quatro cairão em sexta-feiras e 2 em segundas-feiras. Cinco datas de folga serão em terças ou quinta-feiras, criando os chamados feriados emendados.

Em São Paulo, serão 2 feriados a mais que poderão ser emendados, o de 25 de janeiro (aniversário da cidade), que cairá numa quinta-feira, e o de 20 de novembro (Dia da Consciência Negra), que acontecerá numa terça-feira.

Em 2018, feriados prolongados garantem 16 dias de descanso

Lista dos feriados nacionais de 2018:

30 de dezembro a 1º de janeiro (sábado a segunda): Confraternização Universal é dia 1º

30, 31 de março e 1º de abril (sexta a domingo): Paixão de Cristo é dia 30

21 de abril (sábado): Tiradentes

28 de abril a 1º de maio (sábado a terça): Dia Mundial do Trabalho é dia 1º

7 , 8 e 9 de setembro (sexta a domingo): Independência do Brasil é dia 7

12 , 13 e 14 de outubro (sexta a domingo): Nossa Senhora Aparecida é dia 12

2, 3 e 4 de novembro (sexta a domingo): Finados é dia 2

15 a 18 de novembro (quinta a domingo): Proclamação da República é dia 15

22 a 25 de dezembro (sábado a terça): Natal é dia 25

Ponto facultativo

Confira as datas de 2018 em que o ponto será facultativo nas repartições federais:

10 a 14 de fevereiro (sábado a quarta): Carnaval é ponto facultativo o dia inteiro na segunda e na terça-feira, e até as 14h na quarta-feira

31 de maio a 3 de junho (quinta a domingo): Corpus Christi é dia 31

28 de outubro (domingo): Dia do Servidor Público

Feriados em São Paulo

25 a 28 de janeiro (quinta a domingo): aniversário da cidade de São Paulo é dia 25

7 a 9 de julho (sábado a segunda): Revolução Constitucionalista é dia 9

17 a 20 de novembro (sábado a terça): Dia da Consciência Negra é dia 20

Feriados no Rio de Janeiro

20 de janeiro (sábado): Dia de São Sebastião

21 a 23 de abril (segunda): Dia de São Jorge é dia 23

17 a 20 de novembro (sábado a terça): Dia da Consciência Negra é dia 20

Veja o que muda em 2018 e pode afetar seu bolso

 

- Novas leis alteram valores de benefícios e contribuições, além de mudar regras para microempreendedores e empresas. Veja lista.

Com a virada do ano, novos valores do salário mínimo e de benefícios sociais entram em vigor. Passam a valer também novas regras para enquadramento no Simples Nacional – sistema que permite o recolhimento simplificado de tributos - e na modalidade de microempreendedor individual (MEI).

Outra novidade é a chamada tarifa branca, que permitirá que consumidores paguem menos se concentrarem o consumo fora do pico.

Outras mudanças já foram anunciadas e serão implementadas nos próximos dias, como a nova idade mínima para o saque de cotas do PIS/Pasep, que foi reduzida para 60 anos.

Veja as principais mudanças que entram em vigor a partir de janeiro de 2018:

Salário mínimo

O salário mínimo foi reajustado de R$ 937 para R$ 954. O valor vale a partir do dia 1º nas unidades da federação que seguem o decreto nacional. O valor diário do salário mínimo corresponderá a R$ 31,80, e o valor horário, a R$ 4,34.

Cerca de 45 milhões de pessoas no Brasil recebem salário mínimo, entre aposentados e pensionistas, cujos benefícios são, ao menos em parte, pagos pelo governo federal.

Abono salarial

O benefício equivale a um salário mínimo vigente, ou seja, sobe para R$ 954 em 2018. O abono é pago anualmente aos trabalhadores que recebem remuneração mensal de até dois salários mínimos. O trabalhador precisa exercer atividade remunerada por, no mínimo, 30 dias consecutivos no ano e estar cadastrado no PIS (empregado da iniciativa privada) ou Pasep (servidor público) por pelo menos 5 anos.

Redução da idade para saques do PIS/Pasep

A partir do dia 6 de janeiro, a idade mínima para o saque de cotas do PIS/Pasep passa a ser de 60 anos. Esta é a segunda vez que o governo reduz a idade para os saques. Em agosto, uma MP fixou a idade mínima em 65 anos para homens e 62 anos para mulheres. Segundo o governo, a mudança poderá beneficiar 10,9 milhões de pessoas e injetar R$ 21,4 bilhões na economia.

Teto maior para Simples e MEI

Neste ano, as empresas que faturarem até R$ 4,8 milhões ao longo de 2018 poderão se enquadrar nas regras do Simples Nacional – sistema que permite o recolhimento simplificado de tributos. No ano passado, o teto anual de faturamento era de até R$ 3,6 milhões.

Também subiu o teto de faturamento para as microempresas, de R$ 360 mil por ano para R$ 900 mil.

Já o teto de faturamento para se enquadrar na modalidade de microempreendedor individual (MEI) passará de até R$ 60 mil para até R$ 81 mil. A partir deste ano, 12 novas ocupações também foram liberadas para serem incluídas na categoria MEI, que tem tributação menor.

Pelas regras do programa, o MEI não pode ter participação em outra empresa e só pode ter no máximo um empregado. Saiba mais aqui

Tarifa de luz mais barata fora do pico

A tarifa branca entrou em vigor no dia 1 e é opcional. A novidade permitirá que consumidores paguem menos se concentrarem o consumo fora do período entre 18h e 21h. Os consumidores devem solicitar às distribuidoras a adesão ao novo sistema. Após o pedido, as concessionárias terão 30 dias para trocar o medidor. Saiba mais aqui

Regras para sacar a partir de R$ 50 mil

A nova regra começou a valer no dia 27 de dezembro. A partir de agora, quem precisar sacar na boca do caixa R$ 50 mil em espécie ou qualquer valor acima terá de avisar o banco com 3 dias úteis antes, segundo nova resolução do Banco Central. Antes, a comunicação deveria ser feita com apenas 1 dia útil de antecedência.

Os correntistas também terão de informar mais dados aos bancos, como o motivo da transação. Saiba mais aqui.

eSocial obrigatório para empresas

A partir do dia 8 de janeiro todas as empresas com faturamento anual superior a R$ 78 milhões serão obrigadas a usar o eSocial para registrar informações de empregados e de eventos como férias e horas extras. As demais empresas serão obrigadas a aderir ao sistema a partir do dia 16 de julho de 2018. Saiba mais aqui.

Atualmente, somente patrões de empregados domésticos estão obrigados a usar o eSocial para o registro dessas ações.

O governo estima que a implantação do eSocial pode aumentar a arrecadação em R$ 20 bilhões por ano só por eliminação de erros, que levam as empresas a pagarem menos do que o devido.

Taxa de Longo Prazo

A Taxa de Longo Prazo (TLP) passa a corrigir os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para contratos firmados a partir de janeiro, substituindo a Taxa de Juros de Longo Prazo.

Dentro de cinco anos ela gradualmente irá se igualar à taxa de juros de mercado. Isso significa que a nova taxa do BNDES será igual à taxa que o Tesouro paga para tomar empréstimo junto ao mercado, ou seja, livre de interferências políticas. Assim, ela seria uma taxa de juros dentro dos padrões do mercado.

Com a instituição da TLP, os juros cobrados pelo BNDES deixam de ser subsidiados. Ou seja, pegar empréstimo no banco público ficará mais caro, já que atualmente a taxa cobrada (TJLP) é de 6,75% ao ano, abaixo do juro básico da economia (Selic), que está em 12,25% ao ano. Saiba mais aqui

Fundo garantidor de crédito

Desde o dia 22 de dezembro, quem contrata investimentos está submetido ao novo limite de R$ 1 milhão de garantia contra eventual calote de banco estabelecido pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) - associação sem fins lucrativos criada pelas instituições financeiras nos anos 1990 para proteger os investidores. O limite vale para um período de quatro anos.

Antes, o FGC cobria até R$ 250 mil (valor mantido) por banco onde o investidor tinha aplicação. De acordo com a nova regra, se o investidor tiver, por exemplo, aplicações em dez instituições diferentes (ligadas ao FGC), ele estará garantido em R$ 1 milhão - e não mais em R$ 2,5 milhões. O fundo protege pessoas físicas e jurídicas.

Contribuições ao INSS

Para as empregadas domésticas que recebem salário mínimo e que recolhem 8%, a contribuição passa de R$ 74,96 para R$ 76,32. A parte do patrão, que também contribui com 8% do salário, sobe para R$ 76,32. Se recolher as duas partes, pagará R$ 152,64.

Ações nos juizados

O reajuste do salário mínimo afeta o teto permitido para se ajuizar uma ação. No Juizado Especial Federal, por exemplo, pode entrar com ação, sem advogado, quem tem valor a receber de até 60 salários mínimos. De R$ 56.220, o limite passa a ser de R$ 57.240.

No Juizado Especial Cível, o valor das ações também é calculado com base no mínimo. Quem quiser entrar com ação que envolva até R$ 19.080 (ou 20 salários mínimos), sem advogado, está liberado. Em 2017, o teto era de R$ 18.740.

CPF de dependentes a partir de 8 anos no IR

A partir desse ano, a Receita Federal passará a exigir CPF (Cadastro de Pessoas Físicas) de pessoasa partir de 8 anos de idade declaradas como dependentes no Imposto de Renda. Até então a idade mínima estava fixada em 12 anos. Segundo o fisco, a redução da idade visa evitar que a declaração caia na malha fina, "possibilitando maior rapidez na restituição do crédito tributário".

Morre empresário fabricianense, ex-presidente do PAN

 

Fabriciano - Foi sepultado no sábado,30, no Cemitério Parque Vale da Saudade, em Coronel Fabriciano, o empresário Caizer Geraldo, vítima de um infarto fulminante na noite de sexta-feira,29.

Natural de Mesquita, 67 anos, engenheiro aposentado, ele era proprietário da empresa Vale do Aço Andaimes (Vandaime), que há 20 anos presta serviços na área da Cenibra, Usiminas e Aperam. Deixa viúva, três filhos e dois netos.

Sogro do vereador Marcos da Luz (PT), ele presidiu na cidade o PAN (Partido dos Aposentados da Nação). Era colaborador da comunidade católica dos bairros Universitário e Morada do Vale.

“Caizer foi um homem iluminado, batalhador, honesto, humilde, amigo e de um coração imenso. E que soube, com muita sabedoria, transmitir esses bons exemplos para sua família, além de deixar um grande legado para toda a nossa comunidade", descreveu Marcos da Luz.

Câmara de Fabriciano tem novo presidente

Luciano Lugão presidirá a nova mesa diretora, empossada no plenário da Casa

FABRICIANO - Foi empossada nea segunda-feira,01, a nova mesa diretora da Câmara de Coronel Fabriciano, para o ano de 2018. O legislativo fabricianense já está sendo presidido pelo vereador Luciano Lugão, tendo o vereador Sargento Francisquini como primeiro vice-presidente e a vereadora Carmem do Sinttrocel, como segunda vice-presidente. A chapa é completada pelos 1º e 2º secretários: os vereadores Cristiano do Cais e Enéias Reis, respectivamente.

A solenidade de posse, realizada no plenário da Câmara Municipal, contou com a presença do prefeito de Coronel Fabriciano, médico Marcus Vinícius, o vice-prefeito, José Gregório (Gregório da Retífica), o ex-prefeito Paulo Antunes e o presidente da Assembleia de Deus Ministério Coronel Fabriciano e Ipatinga, entre outras autoridades.

Continuidade

O novo presidente da Câmara, Luciano Lugão, em seu primeiro discurso após a posse, fez questão de ressaltar o bom trabalho feito pelos seus antecessores. “Eu aprendi, na minha vida acadêmica e com minha experiência como gestor, que ninguém inventa, as pessoas aperfeiçoam ou modificam aquilo que já foi inventado. Então, já deixo claro que pretendo sim copiar. Iremos copiar o que de bom foi feito por nossos antecessores, e com humildade,procurar aperfeiçoar as ações que deram certo. Mas vamos também inovar na gestão, trazer novidades, ações e medidas que deram certo em outras câmaras, procurando acertar os pontos que ainda precisam ser melhorados, sempre com um único foco: o povode Fabriciano”, afirmou Luciano Lugão.

Responsabilidade

Lugão ressaltou ainda a importância do trabalho exercido pela Câmara para o povo de Fabriciano. “A responsabilidade que advém do cargo de presidente é muito grande. Nossa principal bandeira sempre foi e continuará sendo o respeito ao cidadão. A vida do cidadão passa pelos vereadores. As decisões tomadas aqui dizem respeito ao povo, modificam a vida da população, e iremos votar projetos e medidas que visem a melhoria da vida do povo de Coronel Fabriciano. Iremos gerir esta casa, juntamente com nossos pares, visando conquistar mais dignidade e cidadania para cada cidadão”, finalizou o presidente.

Resgate do orgulho

O prefeito de Fabriciano, Marcus Vinícius, prestigiou a posse da nova mesa diretora. “Lugão representa a harmonia entre o executivo e o legislativo de nossa cidade. Estamos com um único foco, a busca por tempos melhores para Coronel Fabriciano, o resgate do orgulho do nosso cidadão. Já encontrei muitas pessoas que tinham vergonha de falar que eram de Fabriciano. Hoje, estamos vendo este quadro mudar, e continuaremos trabalhando para fazer muito mais”, disse o prefeito.

BOX:

Luciano Lugão, vereador eleito em Coronel Fabriciano em seu terceiro mandato, graduado em Administração e mestre em

Administração Pública. Filho do saudoso vereador Célio Valadares, o Ceito, e da professora aposentada, Dona Ila, Lugão tem 39 anos, é casado com Amanda e pai de Mateus, de apenas dois anos. Antes de ingressar na carreira política, Lugão lecionou matemática em escolas públicas e cursos profissionalizantes. O vereador, que nasceu e foi criado no bairro Caladinho de Cima, onde mora até hoje, assume a presidência da mesa diretora pela primeira vez.

Ipatinga anuncia mais 800 moradias e a regularização de 50 mil imóveis

Com apoio de deputado Federal, administração municipal viabiliza recursos de R$ 80 milhões para 14 novos prédios que beneficiarão famílias com renda de até R$ 1.800.

Termo de cooperação com o governo do Estado vai garantir também escrituras para mais de 50 mil imóveis.

Em coletiva na manhã desta sexta-feira (10), em seu gabinete, o prefeito Sebastião Quintão anunciou uma série de benefícios importantes para a população do município, graças ao apoio do gabinete do deputado Federal Leonardo Quintão. Estão sendo canalizados recursos de R$ 80 milhões para a construção de 800 novas moradias na cidade, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida, o que ameniza já no primeiro ano de governo um déficit habitacional em torno de 4.600 unidades.

Na mesma solenidade, também foi assinado termo de cooperação técnica com a Agência da Região Metropolitana do Vale do Aço (ARMVA) para a regularização fundiária de mais de 50 mil imóveis sem escrituras, representando grande inclusão social.

MAIS SAÚDE

Ainda, graças à intervenção do parlamentar, o município está recuperando verbas no valor de R$ 8 milhões em favor do Hospital Municipal, que haviam sido perdidas por falta de prestação de contas do governo anterior. O benefício soma-se a outros R$ 6 milhões canalizados pelo gabinete para cirurgias, em favor de pacientes que aguardavam há anos em filas de espera.

NOVAS HABITAÇÕES

Serão 14 novos prédios de quatro pavimentos construídos para famílias com renda até R$ 1.800, que atendam a critérios estabelecidos e estejam cadastradas no CadÚnico. São apartamentos de 39 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha e banheiro. As obras serão executadas conforme a seguinte programação: 144 unidades no condomínio Passatempo I e 256 unidades no condomínio Passatempo II, na região do bairro Veneza; mais 160 unidades para o residencial Teresina, Veneza; 240 unidades no bairro Nova Esperança.

As construções vão gerar cerca de 2 mil empregos diretos e indiretos. Toda a mão de obra será local, com utilização de trabalhadores cadastrados no Sine municipal.

A previsão é de que as obras se iniciem em seis meses, com conclusão no prazo de mais seis meses a um ano.

ESCRITURAS PARA IMÓVEIS

Outra notícia de grande impacto foi o termo de cooperação firmado com a Agência da Região Metropolitana do Vale do Aço para regularização de mais de 50 mil imóveis na cidade cujas famílias não detêm escrituras públicas. O benefício será inteiramente gratuito, com isenção de taxas de desmembramento, ITBI e cartório.

O prefeito Sebastião Quintão destacou que, além do decisivo apoio do deputado Leonardo Quintão, “um interlocutor eficiente e de confiabilidade junto aos órgãos federais”, os benefícios têm sido conquistados graças também à agilidade de suas assessorias e ao empenho dos vereadores da base na Câmara Municipal, além da parceria do governo estadual, por meio da Agência da Região Metropolitana.

Quintão observou que cerca de 70% dos imóveis estão na informalidade em Ipatinga, sem que os moradores possam ter acesso a financiamentos para reformas ou dar garantias aos herdeiros, além dos bens serem subvalorizados em função desta situação. “Há algum tempo, temos lutado em todas as esferas pela solução desse grave problema social, rompendo as barreiras das

cores partidárias, procurando quebrar essa cultura dos guetos políticos que só fazem penalizar a comunidade. Dentro da legalidade, serão milhares de famílias beneficiadas”, comemorou.

A cerimônia foi acompanhada pelo vice-prefeito Jésus Nascimento, praticamente todos os secretários municipais, o líder de governo na Câmara, Jadson Heleno, e ainda os vereadores José Geraldo Andrade, Gilmarzinho, Tonico, Paulo Reis, Toninho Felipe, Adiel Oliveira e Wanderson da Autotrans. Representando a Agência da Região Metropolitana do Vale do Aço, o diretor-geral interino, Luciano Machado, e o diretor de Regulação, Carlos Mafra.

 

Seminário Mineiro de Humanização e Pastoral da Saúde em Ipatinga

A saúde é um estado de bem-estar conjunto de corpo e mente. Se há um desequilíbrio em um, o outro tende a não funcionar corretamente. Um corpo sadio sustenta um emocional sadio e vice-versa. Pensando nesses princípios, a Fundação São Francisco Xavier (FSFX), por meio da equipe multidisciplinar do Hospital Márcio Cunha (HMC), promove 33° seminário Mineiro de Humanização e Pastoral da Saúde. O intuito do evento é trazer uma série de palestras e atividades em convergência com o tema desse ano, “Cuidando da saúde física e emocional do nosso voluntário”.

Na manhã de sábado,11, a partir das 8h, no Teatro Zélia Olguin, no bairro Cariru, em Ipatinga, os voluntários se reúnem para, em vez de cuidarem de outras pessoas, tomarem algum tempo para cuidarem de si mesmos. Entre os principais temas abordados no evento, está a inteligência emocional, conceito de psicologia que utiliza o autoconhecimento, controle de emoções e automotivação em prol da estabilidade e bem-estar, na palestra “Inteligência Emocional no Trabalho Voluntário”. A programação ainda inclui explanações com profissionais da fisiologia, psicologia e ortopedia, além de uma dinâmica em grupo. Depois do almoço e das atividades programadas para a tarde, por volta das 16h45, os voluntários e colaboradores participarão de uma missa, ministrada pelo bispo emérito Dom Odilon.

“Ações como esta são indispensáveis para os voluntários da Pastoral da Saúde, como uma maneira de recompensá-los por seu altruísmo e trabalho duro em prestar assistência religiosa, independente da crença, em momentos de fragilidade física”, ressalta a supervisora de Assistência Multidisciplinar, Maria Inês Romano Teixeira.

Pastoral da Saúde

Entendendo a importância do amparo religioso em momentos de enfermidade, o grupo de voluntários da Pastoral da Saúde, com mais de 200 integrantes, doa parte do seu tempo e presta auxílio aos acamados. No dia a dia do Hospital, o trabalho dessas pessoas é visitar os internos, ouvindo-as e servindo-lhes de companhia.

“O trabalho da Pastoral da Saúde tem como objetivo levar aos pacientes e acompanhantes momentos de religiosidade, apoio e reflexão, respeitando sua crença. São pessoas, na grande maioria com muita experiência de vida, que doam parte do seu tempo para auxiliar o próximo”, destaca Bruno Nunes Ribeiro, gerente corporativo de Assistência Ambulatorial, Atenção Domiciliar e Multidisciplinaridade. Antes de participar do grupo, todos os voluntários se submetem a treinamentos com a equipe do HMC, sobretudo do Serviço Social e Controle de Infecção Hospitalar.

As atuações desses grupos são diversas. Na maternidade, por exemplo, onde mães esperam o momento ideal do nascimento do bebê, os voluntários ensinam e acompanham a preparar peças em tricô, crochê e bordado. As peças vão para o enxoval do recém-nascido. Durante o parto, as doulas, selecionadas pela experiência e perfil adequados, incentivam as mães durante o trabalho de parto. Na pediatria, acompanham atividades de leitura e pintura com as crianças. Também há grupos da Pastoral que atuam no Centro de Terapia Renal Substitutiva (CTRS), Unidade de Oncologia e Oncologia Pediátrica; e Cuidados Paliativos.

 

Escola Vilma de Faria conhece o núcleo de reabilitação do Cebus

Ipatinga - Na sexta-feira,10, os alunos e professores da Escola Municipal Vilma de Faria Silva irão conhecer o núcleo de reabilitação do Centro de Biodiversidade da Usipa. O exercício será efetuado por meio do Projeto de Visita Monitorada Zoo – PROGEA.

A escola localizada no bairro Vila Militar, em Ipatinga, visitará o Cebus com cerca de 90 alunos, sendo 45 na parte da manhã e a outra metade à tarde, que irão entender o funcionamento da reabilitação de animais realizada pelo zoo, em parceria com IEF, ARPAVA e Polícia de Meio Ambiente.

“As crianças ouvem falar muito sobre tráfico de animais, maus tratos e outros temas relacionados à fauna, e aqui terão a oportunidade de ver na prática as consequências destes crimes e de ações danosas como desmatamentos, incêndios, entre outros. É uma complementação do trabalho educativo desenvolvido pelo PROGEA”, afirma a bióloga do Cebus, Claudia Diniz.

O Projeto

A ação procura atender a uma demanda da Polícia de Meio Ambiente que desenvolve na região o PROGEA, Programa de Educação Ambiental que atende escolas do Vale do Aço. Organizadas pelos responsáveis pelo Programa, as visitas são realizadas as quintas e sextas-feiras e oferecidas de forma gratuita, sempre com acompanhamento de monitor (estagiário ou voluntário). Todas as Ações do PROGEA são custeadas com recursos advindos das transações penais encaminhados pela Promotoria de Meio Ambiente para a ARPAVA, ONG do Vale do Aço apoiadora das ações do CEBUS e PROGEA

Página 5 de 34